Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Filigrana da Póvoa de Lanhoso eleita ‘maravilha’ da cultura popular do distrito
Missões humanitárias são ‘paixão’ de médica do Hospital de Braga

Filigrana da Póvoa de Lanhoso eleita ‘maravilha’ da cultura popular do distrito

‘Amigos de S. Vicente’ querem manter acesso às Fontainhas

Filigrana da Póvoa de Lanhoso eleita ‘maravilha’ da cultura popular do distrito

Cávado

2020-08-12 às 06h00

Paula Maia Paula Maia

Técnica ancestral que tem levado o nome da Póvoa de Lanhoso aos quatro quantos do mundo foi a escolhida para representar o distrito na próxima etapa do concurso ‘7 Maravilhas da Cultura Popular’. Autarca local diz que esta será uma “enorme mais-valia”.

A Filigrana da Póvoa de Lanhoso vai representar o distrito de Braga na semi-final do Concurso ‘7 Maravilhas da Cultura Popular’ depois de ter vencido, ontem, a final distrital através da votação do público.
A reconhecida filigrana povoense foi a ‘maravilha’ mais votada, deixando para trás outros concorrentes de ‘peso’, como as Festas de São João de Braga - que liderou as votações durante parte do tempo em que as linhas estiveram abertas -, os Gigantones e Cabeçudos de Braga, a Banda Plástica de Barcelos, o Figurado de Barcelos, a Lenda do Galo de Barcelos e os Lenços de Namorados de Vila Verde.

Argumentos não faltaram para convencer o púbico a eleger a filigrana como digno representante da cultura popular do distrito e séria candidata à eleição da ‘7 Maravilha da Cultura Popular’.
A filigrana é uma técnica ancestral de ourivesaria que assenta no trabalho artesanal, utilizando fios finíssimos, de ouro ou prata, torcidos e aplicados, posteriormente, numa armação desenhada e concebida pelo mesmo mestre filigraneiro.

Com base nesta técnica, que subsiste desde o I milénio a.C., a ourivesaria povoense deu-se a conhecer ao mundo e foi-se reinventando, ao longo dos séculos, ao ponto de saírem verdadeiras obras de arte das oficinas tradicionais que polvilham, principalmente, as freguesias de Travassos e Sobradelo da Goma e constituem-se como verdadeiros museus de sítio.
A arte da filigrana no concelho, com bases sólidas e inequívocas na decoração dos três torques descobertos no Castro de Lanhoso, evidencia um longo e aprimorado percurso reflectindo-se na criação de exuberantes jóias de arte sacra, como sejam os requintados relicários, ou nos identitários e distintivos corações de filigrana, que ornamentam e abrilhantam a mulher minhota.

A importância deste trabalho artesanal foi recentemente reconhecida com a Certificação da Filigrana, estabelecendo um passo importante para a protecção, promoção e garantia da qualidade dos produtos.
“Estou muito feliz! Eu sabia que isto ia acontecer! Quero agradecer a todos os Povoenses que contribuíram para que a Filigrana da Póvoa de Lanhoso fosse vencedora”, referiu o presidente da câmara, Avelino Silva, aquando a publicação dos resultados, acrescentando que esta será “uma enorme mais-valia para o sector e também para o turismo e esperamos um impacto muito positivo na economia local. Estamos muito felizes com este resultado, pois é o reconhecimento de uma arte em que os artesãos da Póvoa de Lanhoso são mestres”.
Hoje é conhecida a segunda ‘maravilha’ mais votada que pode ser ‘repescada’ na próxima edição do concurso que terá lugar no próximo domingo.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho