Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Freguesia de Gualtar não quer alunos deslocados
Requalificação das EB de Vila Verde e Prado cumpre as metas estabelecidas

Freguesia de Gualtar não quer alunos deslocados

‘Fiscalização Júnior’ juntou 250 alunos do 1.º ciclo

Freguesia de Gualtar não quer alunos deslocados

As Nossas Escolas

2019-07-22 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Presidente da Junta de Gualtar recusa a deslocação de alunos do ensino pré-escolar para fora da freguesia. Autarca alega que há duas salas disponíveis no renovado Centro Escolar.

A Assembleia Municipal de Braga aprovou uma recomendação à Câmara Municipal no sentido de garantir, em tempo útil para o próximo ano lectivo, que as crianças de Gualtar inscritas para a frequência do ensino pré-escolar não sejam deslocadas para fora da freguesia.
A proposta foi apresentada pelo presidente da Junta de Freguesia de Gualtar, João Paulo Vieira, que protestou contra a formação de turmas de jardim-de-infância em freguesias vizinhas, nomeadamente S. Pedro d’Este, quando o Centro Escolar de Gualtar tem duas salas desocupadas para acolher esse nível de ensino.

O autarca entende que todas as crianças inscritas em primeira opção no jardim de infância de Gualtar, que se encontra lotado, podem manter-se na freguesia, recorrendo-se às salas disponíveis no Centro Escolar.
João Paulo Vieira constata que o aumento populacional que a freguesia regista nesta altura “irá continuar”, pelo que sugere, na recomendação aprovada pela Assembleia Municipal, uma revisão da Carta Educativa no que a Gualtar diz respeito.
João Nogueira, da bancada socialista da Assembleia Municipal e presidente da Assembleia de Freguesia de Gualtar, considerou que a utilização das salas do Centro Escolar no próximo ano lectivo carece apenas da aquisição de material pedagógico.

Na sessão da Assembleia Municipal da última sexta-feira, foi também aprovada uma saudação apresentada pela CDU “aos pais e à população de Pedralva, bem como ao executivo da Junta de Freguesia” pela manutenção da Escola do 1.º Ciclo local.
Aquele estabelecimento de ensino teve encerramento anunciado por não reunir o número de alunos considerados suficientes para o seu funcionamento, mas, após contestação de encarregados de educação e autarcas locais, o Ministério da Educação recuou nessa intenção.

“Ainda que a CDU, como os pais, tenha denunciado a falta de estratégias da Câmara Municipal em trabalhar medidas que evitassem cenários de encerramento de escolas, ao invés de se debruçarem sobre factos prati- camente consumados, a maioria da Câmara insistiu que não concordava com a alternativa para a escola permanecer aberta, que seria a criação de uma turma mista”, declarou o eleito comunista João Baptista.
O PSD votou favoravelmente com os restantes partidos, ressalvando João Granja que a sua bancada se demarcava daquele e de outros considerandos da saudação da CDU.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.