Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Fundos Europeus decisivos para economia portuguesa
Águas do Norte anunciam investimento de 1,9 milhões de euros em Celorico de Basto

Fundos Europeus decisivos para economia portuguesa

Extensões expositivas divulgam espólio do Naufrágio Quinhentista de Belinho

Fundos Europeus decisivos para economia portuguesa

Economia

2022-05-29 às 06h00

Redacção Redacção

Estudo recente, liderado pelos professores João Duarte e Pedro Brinca, defende que “sem as verbas da Europa”, Portugal tinha-se afastado da União Europeia no período 2014 a 2020 a nível económico.

Citação

“Sem as verbas da Europa, o nosso país tinha-se afastado da União Europeia (EU) no período de 2014-2020.” Esta é uma das principais conclusões do trabalho de investigação liderado pelos professores João Duarte e Pedro Brinca, um projecto que procura avaliar o impacto dos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI) nas diferentes regiões em Portugal e que conclui que cada euro investido gerou um valor acrescentado bruto (VAB) de 2,4 euros ao fim de três anos, contribuindo de forma decisiva para a convergência das regiões entre si e em relação à UE.

Este estudo também vem demonstrar que os fundos europeus promovem o crescimento económico. Cada euro proveniente dos FEEI gera quase o mesmo valor no próprio ano .
Em termos de valor acrescentado, e gera mais do que o próprio euro em anos futuros. Verificou-se que por cada euro de apoio pago num município, o VAB (valor acrescentando bruto) aumenta em 0,89 euros no ano de atribuição do apoio, crescendo para 0,9 euros no ano seguinte e para 1,57 euros dois anos após o apoio, chegando a 2,43 euros após três anos.

Portugal é o sétimo maior país em termos de valor de apoio recebido da EU no quadro comunitário 2014-2020, o décimo maior país em termos de valor recebido em relação ao PIB (valor ajustado à dimensão da economia), e o nono maior país em termos de taxa de implementação dos fundos europeus (medida pelo rácio entre os apoios implementados e o total da despesa aprovada).
No último quadro comunitário, os FEEI foram sobretudo direccionados para o FEDER (quer a nível nacional quer a nível da UE), sendo o principal fundo estrutural, e canalizando os fundos para o desenvolvimento equilibrado entre as regiões europeias. No entanto, em termos de implementação até ao final de 2020, o FEADER apresenta-se como aquele onde mais fundos foram implementados face ao planeado, prevendo-se que até ao final da execução, o FEDER aumente significativamente a sua importância.

O estudo foi elaborado a pedido e em colaboração com o EuroRegião, tendo a sua análise se centrado em perceber: o impacto da política de coesão no desenvolvimento económico e social de Portugal ao nível dos municípios; se os fundos da política de coesão contribuem para a convergência de Portugal com a UE; e, por fim, como os fundos contribuem para a convergência regional dentro de Portugal.
Além dos investigadores da Nova SBE, o trabalho teve o contributo da Agência para o Desenvolvimento e Coesão, que disponibilizou os dados sobre as operações dos fundos europeus estruturais e de investimento.
O EuroRegião Talks Braga conta com o apoio da Comissão Europeia, do YoungNetwork Group, da Associação Empresarial de Braga e da AIP Consulting.

Conferência Eurotalks chega a Braga no dia 31 de Maio

O EuroRegião continua com o ciclo de conferências EuroRegião Talks, eventos que percorrerão todo o país, e nos quais será apresentado o estudo da Universidade Nova sobre o impacto dos fundos europeus nas diferentes regiões em Portugal e debatidos diversos aspetos relacionados com as verbas provenientes da Europa.
A próxima conferência da EuroRegião Talks chega a Braga no próximo dia 31 de Maio e irá decorrer no salão nobre da Associação Empresarial de Braga. O ciclo de dez conferências arrancou em Março e percorre o país para discutir o impacto dos Fundos Europeus para o desenvolvimento das regiões portuguesas faz parte de um projecto do jornal EuroRegião para apresentar o impacto dos fundos europeus nas diferentes regiões do nosso país.
Sofia Terlica, do gabinete da ministra da Coesão Territorial, participará abordando o estudo da Nova SBE “Fundos Europeus Estruturais e de Investimento - Avaliação de Impacto nas diferentes regiões em Portugal”, seguindo-se um debate sobre os apoios das entidades europeias. 
Para João Duarte, CEO do YoungNetwork Group, que detém o EuroRegião, neste ciclo de conferências “podemos esperar muita partilha de conhecimento, por via deste novo estudo que demonstra a importância da política de coesão para as regiões portuguesas, que convergiram nos últimos anos face à média europeia, como dentro do país as menos desenvolvidas convergiram com as mais desenvolvidas, provando-se que sem os fundos estruturais e de investimento não teria acontecido.”

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho