Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Furacão minhoto arrasa Alcochete
Câmara de Arcos de Valdevez investe na promoção de Sistelo

Furacão minhoto arrasa Alcochete

Mais de 2500 crianças no Carnaval de Fafe

Furacão minhoto arrasa Alcochete

Desporto

2020-01-27 às 06h00

Redacção Redacção

Guerreiras do Minho fizeram uma excelente exibição na casa das leoas e construíram um triunfo gordo, que premeia a capacidade finalizadora evidenciada. Objectivo da Taça continua de pé.

À terceira foi mesmo de vez. A equipa feminina do SC Braga venceu ontem à tarde o Sporting por 3-0, em Alcochete, e seguiu para os quartos-de-final da Taça de Portugal de futebol feminino, numa partida em que soube sempre gerir os acontecimentos em seu proveito.
As bracarenses chegaram ao intervalo a vencer por 2-0, com golos de Farida Machia (logo no primeiro minuto de jogo) e Laura Luís (33 minutos), fechando o marcador já nos descontos, por Hannah Keane (90+5 minutos), conseguindo o primeiro triunfo sobre as ‘leoas’ em três encontros disputados nesta época.

Após o golo de Farida Machia, logo aos 24 segundos, na recarga a um cabeceamento à trave de Laura Luís, as visitantes não se remeteram à defesa e, pelo contrário, foram à procura de ampliar o marcador frente a um Sporting que acusou demasiado a contrariedade.
Laura Luís esteve perto de ampliar por duas vezes (14 e 25 minutos), antes de acertar, finalmente, nas redes de Inês Pereira (33 minutos), solicitada no coração da área por Machia, fazendo o 2-0 com que se chegou ao intervalo.
Na segunda parte, o Sporting foi à procura de recuperar a desvantagem e entrou mais forte, mas não teve discernimento no último terço do terreno e raramente conseguiu encontrar o caminho da baliza.

Um cabeceamento de Hannah Wilkinson (80 minutos) à figura da guarda redes minhota e um remate ao lado de Fátima Pinto (81 minutos) foram as excepções numa fase em que o volume ofensivo das ‘leoas’ não se traduzia em lances de perigo para as guerreiras do Minho.
E foi, precisamente, com a equipa de Susana Cova completamente balanceada para o ataque que as arsenalistas, num dos raros lances de perigo criados na segunda parte, chegaram ao 3-0 final, através de um contra-ataque de Uchendo finalizado por Hannah Keane.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.