Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Grupo Bernardo da Costa fixa ordenado mínimo em 800 euros
Máquinas de alta performance

Grupo Bernardo da Costa fixa ordenado mínimo em 800 euros

Caminha vai partilhar memórias da Páscoa

Grupo Bernardo da Costa fixa ordenado mínimo em 800 euros

Economia

2021-01-09 às 14h44

Redacção Redacção

Grupo supera a meta do governo que fixou o salário mínimo em 750 euros. Fora desta medida fica apenas a BCInergia, empresa que dentro de dois anos “terá condições para a estar a par das restantes”.

O Grupo Bernardo da Costa, de Braga, estabeleceu como ordenado mínimo, a partir deste mês e em cinco das suas seis empresas, o valor de 800 euros.
Em comunicado, o grupo sublinha que supera, assim, a meta do Governo para o salário mínimo nacional para 2023, que é de 750 euros.
O CEO do grupo, Ricardo Costa, disse à Lusa que de fora desta medida fica apenas a empresa BCInergia, que “foi muito afectada pela crise de 2009 a 2014 e este ano ainda não consegue praticar esse valor”.
“Estou certo de que em dois anos terá condições para estar a par das restantes empresas do grupo”, acrescentou.

Disse ainda que esta medida não abrange estagiários, mas sublinhou que quando os mesmos passam a colaboradores com contrato o seu salário é “imediatamente” fixado num mínimo de 800 euros.
O grupo conta com 86 colaboradores em Portugal, 14 dos quais na BCInergia.
Nesta empresa, ainda há quatro trabalhadores com um salário inferior ao agora anunciado.
“Pretendemos uma equipa jovem, altamente qualificada e motivada e não conseguimos isso com salários baixos. É nossa obrigação, enquanto gestores, garantir um nível de vida familiar digno a todos os nossos colaboradores”, referiu Ricardo Costa.

Adiantou ainda que a progressão na carreira é outra das preocupações em todas as empresas do Grupo Bernardo da Costa.
“Acredito que uma equipa ambiciosa é o motor principal das grandes organizações e, por esse motivo, também não descuramos este ponto na carreira profissional de cada pessoa que trabalha connosco”, acrescentou.
Prometeu ainda para breve novidades sobre o Departamento da Felicidade do grupo, “que mesmo em pandemia continuou a trabalhar para proporcionar as melhores condições, bem-estar e equilíbrio entre a vida pessoal e profissional” a todos os trabalhadores.

O Grupo Bernardo da Costa está presente no mercado desde 1957, tendo iniciado a sua actividade focada no ‘core business’ de instalações elétricas de apoio à construção civil.
Em 2004, é criada a empresa Bernardo da Costa – Comércio de Equipamentos de Segurança, que hoje possui a designação iBD Global.
O grupo está presente nos cinco continentes, trabalhando na distribuição de equipamentos de Segurança Electrónica, controlo de acessos, domótica, áudio e vídeo profissional, equipamentos de protecção individual, instalações eléctricas, formação e construção civil. Tem um total de 194 colaboradores, 86 em Portugal e 108 nas empresas espalhadas pelo mundo.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho