Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Grupo Desportivo Penela é “família” de bicampeões
Festival Guimarães Jazz continua a ser “um marco na história da cidade”

Grupo Desportivo Penela é “família” de bicampeões

Fafá de Belém em espectáculo intimista no Altice Forum Braga

Grupo Desportivo Penela é “família” de bicampeões

Desporto

2019-06-12 às 06h00

Carlos Costinha Sousa Carlos Costinha Sousa

Clube de Adaúfe conquistou o título do 15.º Campeonato de Futebol Amador do Vale do Cávado, sendo campeão pela segunda vez consecutiva, numa época que premeia o esforço e determinação de toda a estrutura do clube.

Conquistou, pela quarta vez nas 15 edições da competição, o título de vencedor do Campeonato de Futebol Amador do Vale do Cávado. E esta foi a segunda vez que chegou ao bicampeonato. O Grupo Desportivo de Penela festejou a conquista de mais um troféu para o seu palmarés a preceito, tendo recebido a tão desejada taça no jogo de encerramento do campeonato, que coloca frente-a-frente o campeão e uma selecção composta por dois elementos de cada equipa participante, considerados os que mais se destacaram ao longo da temporada.

E esta foi uma época dura para o GD Penela, que teve vários contratempos com lesões, mas que soube “fazer das tripas coração” para conseguir ultrapassar essas dificuldades e chegar à tão desejada revalidação do título que tinha sido conquistado na temporada anterior.
Paulo Dias, um dos directores do clube, analisou o campeonato, considerando que foi uma luta “muito interessante e difícil, com várias equipas a mostrarem muita qualidade”, lembrando que tudo se decidiu apenas na última jornada, uma vez que “quer o Penela, quer o Jacarés estavam em posição de poder chegar ao título. No entanto, fizemos uma segunda volta do campeonato brilhante, não perde- mos qualquer jogo e, uma vez que dependíamos apenas de nós próprios, conquistámos o que pretendíamos”.

A força deste Penela, equipa que foi criada há 39 anos num antigo lugar da freguesia de Adaúfe, é a união e o espírito de família [ver caixa], constantemente referidos por Paulo Dias como sendo o motor que está por trás dos sucessos do clube. Isso e a “dedicação de todos os elementos do plantel”. “Quando digo plantel neste sentido refiro-me a todo o clube, a toda a estrutura: os directores, os técnicos, os jogadores, as suas famílias e os adeptos. É isto que é o Grupo Desportivo de Penela”.

Já Ricardo Silva, capitão da equipa e que já leva 15 anos com o símbolo do Penela ao peito, considera que a conquista do título é um prémio inteiramente merecido para todo o grupo de trabalho, lembrando uma pessoa em especial: o treinador e também director, Miguel Costeira.
“Sem dúvida alguma que esta conquista foi de todo o clube, de todo este grupo de trabalho. Mas também não tenho dúvidas de que devemos agradecer muito ao treinador e director Miguel Costeira, por ser incansável no trabalho que realiza connosco jogadores e também com a restante estrutura directiva. Este título é dele e dos nossos companheiros que tiveram ausentes esta época por lesão”, afirmou o experiente capitão de equipa.

O Penela é um clube simples, amador, que vive do apoio dos “amigos”, como lhes chama o director. Por isso, é óbvio que as dificuldades de organizar uma temporada são muitas, mas Paulo Dias faz questão de afirmar que o “GD Penela é um clube que está sustentado financeiramente. Claro que tem que haver uma gestão orçamental extremamente apertada, mas conseguimos estar estáveis e com boas condições”. Para tal contribuiu o muito trabalho realizado pelos elementos da direcção, sempre “incansáveis na luta por melhorar as condições de trabalho que conseguimos dar aos treinadores e jogadores”.

E é com essa sustentabilidade que o Grupo Desportivo de Penela aponta para o futuro. É com “alicerces bem construídos e com uma base segura” que o clube quer continuar a crescer. “O nosso objectivo, enquanto direcção e que é comum a todo o grupo de trabalho, é continuar a crescer. Mas queremos sempre crescer de forma sustentada e estável. Com ambição, mas sem entrar em loucuras. O nosso trabalho é sempre no sentido de o GD Penela continuar a desenvolver-se de forma positiva. Mas medimos muito bem cada passo que damos para não termos surpresas e nos arrependermos”.

E no futuro muito poderá acontecer. O GD Penela mostra vontade de continuar a crescer e trabalha para isso. Em cima da mesa está a ideia de que o clube poderá inscrever-se nas competições federadas organizadas pela Associação de Futebol de Braga. “Não é um sonho que temos, mas antes uma ideia. Já falamos sobre isso, mas temos a noção de que o orçamento para uma época na AF Braga é bem diferente daquilo que temos actualmente. Mas é óbvio que não deixamos de ter essa ideia. Agora, quem sabe o que o futuro nos reserva...”.

Paulo Dias: “Costumo dizer que uma vez Penela, para sempre Penela”

“Não tenho dúvidas de que a grande força deste clube, esta associação é o facto de que todos nos considerámos como uma família. A união faz a força, como diz o velho ditado, e após uma época como a que tivemos, em que as lesões apareceram e limitaram muito a equipa, apenas esse espírito e sentimento de união permitiu que conseguimos alcançar o nosso objectivo, que era a conquista do título de campeão.”
“Temos na nossa sede condições de que não dispunhámos anteriormente e que permitem que a direcção e os jogadores se possam reunir quando é necessário, ao mesmo tempo que permite também manter os convívios que realizamos constantemente em que juntamos os directores, técnicos, jogadores e respectivas famílias. E aí se fomenta esse espírito de união que nos deu um lema que é: uma vez Penela, para sempre Penela.”

Ricardo Silva: “Lesões afectaram a equipa, mas a resposta de todos foi fantástica”

“Foi uma época muito difícil. Uma temporada longa, com muitos jogos ao longo de largos meses e que deixa marcas, como é claro. Mas acima de tudo tivemos a capacidade e nos conseguirmos superar. Tivemos várias adversidades, como algumas lesões graves de companheiros de equipa que não puderam dar o seu contributo. E a equipa podia ter-se ressentido dessas situações. Mas não aconteceu. As lesões afectaram um pouco a equipa, como é claro, mas a resposta de todos os jogadores foi fantástica. Os que deixaram de poder dar o seu contributo em campo, nunca deixaram de apoiar os outros nas bancadas. E os que ficaram para jogar, convenceram-se de que a conquista do título era muito importante para podermos oferecer e dedicar aos nossos companheiros este campeonato. Foi para isso que trabalhámos e foi o que conseguimos.”

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.