Correio do Minho

Braga, terça-feira

'Guerreiras' fazem história e conquistam a Supertaça
Viana do Castelo inaugura Pavilhão Atlântico de 1,3 milhões de euros

'Guerreiras' fazem história e conquistam a Supertaça

“Semana da Eurocidade celebra a amizade entre dois povos”

Desporto

2018-09-10 às 06h00

Telmo Martins

À quarta foi de vez. Na quarta final entre as equipas do SC Braga e do Sporting, as Guerreiras do Minho conseguiram, finalmente, conquistar um troféu. O jogo foi decidido nas grande penalidades.

Finalmente. A equipa feminina do SC Braga venceu, pela primeira vez, o Sporting e conquistou a Supertaça. A equipa leonina foi o carrasco das arsenalistas na duas últimas temporadas, mas a equipa de Miguel Santos nunca desistiu e conseguiu conquistar o troféu.
Tatiana Pinto, através da marcação de uma grande penalidade, fez o primeiro golo da partida para o Sporting. Francisca Cardoso empatou já na segunda parte. O jogo foi, então, decidido através da marcação de penáltis e os minhotos levaram a melhor. Patrícia Morais não conseguiu defender nenhum dos penáltis das arsenalistas e Rute Costa conseguiu travar o remate de ?Carlyn Baldwin.
O SC Braga não podia ter começado da pior forma na partida. Logo aos seis minutos, Ana Borges, capitã sportinguista, cai na área e a árbitra aponta para a marca da grande penalidade. Encarregada da marcação, Tatiana Pinto não vacilou e fez o tento solitário.

As Guerreiras do Minho foram à procura de anular a desvantagem mas faltou sempre pontaria na hora de acertar com a baliza à guarda de Patrícia Morais.
Murnan, por duas vezes, tentou a sorte. Primeiro, num remate de muito longe que ainda assustou a guarda-redes do Sporting, depois na sequência de um pontapé de canto, a norte-americana voltou a tentar o remate mas a bola saiu com pouca força.
A melhor oportunidade do SC Braga na primeira parte surge já perto da meia hora de jogo. Boa jogada de envolvimento do ataque arsenalista, com Vanessa a fazer o cruzamento para o segundo poste onde apareceu Ágata Filipa a cabecear para o coração da área. Francisca Cardoso já se preparava para encostar para o fundo das redes mas Carole Costa fez o corte e manteve o empate até ao intervalo.

Na segunda parte a equipa orientada por Miguel Santos foi à procura de discutir o resultado. O técnico lançou Babi e Uchendo na partida, procurando dar mais frescura e rapidez à equipa. No entanto, pertenceu ao Sporting a primeira oportunidade de golo. Carlyn Baldwin, depois de uma boa jogada do ataque leonino, recebeu em zona frontal mas Rute Costa, com os pés, afastou o perigo.
As Guerreiras do Minho conseguiram chegar ao empate já perto do apito final. Murnan, através de um lançamento lateral colocou a bola dentro de área, Vanessa ganhou nas alturas e assistiu Francisca Cardoso que cabeceou forte para o fundo das redes. Patrícia Morais ainda tocou na bola mas não evitou o golo.

Em cima do minuto 90, Uchendu teve nos pés a oportunidade de colocar o SC?Braga na frente. A equipa recuperou a bola em zona adiantada e a avançada optou pelo remate, que saiu com pouca força e permitiu a defesa da guardiã adversária, levando o jogo para prolongamento.
O desgaste físico, característico do início de época, fez com que a meia hora de prolongamento fosse escassa em oportunidades de golo e os jogo decidiu-se nos penáltis.
Na decisão final, as minhotas converteram todas as grandes penalidades e a guarda-redes, Rute Costa, conseguiu travar o remate de Carlyn Baldwin, assegurando a conquista do primeiro troféu da época.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.