Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Guerreiros sem desleixo confirmam duelo com Santa Clara nos ‘quartos’
Os garranos à solta, a beleza do Turio num postal ilustrado do concelho de Vieira do Minho

Guerreiros sem desleixo confirmam duelo com Santa Clara nos ‘quartos’

Arcos de Valdevez selecionada para Prémio European Leaf

Guerreiros sem desleixo confirmam duelo com Santa Clara nos ‘quartos’

Desporto

2021-01-14 às 09h00

Miguel Machado Miguel Machado

Eliminatória fácil. Num jogo competente e sem facilitar, o SC Braga afastou o Torreense da Taça de Portugal ao sabor de uma goleada tranquila. Na próxima ronda os Guerreiros vão receber açorianos que já foram ‘carrascos’ do Moreirense e do Vitória SC.

Tarde soalheira no Estádio Municipal de Braga deu para tudo na vitória tranquila dos Guerreiros sobre o Torreense, por 5-0, para a prova rainha. Num jogo em que não teve nenhumas dificuldades para garantir o apuramento para os quartos-de-final da Taça de Portugal, a equipa bracarense goleou fácil com destaque para um bis de Abel Ruiz, para golos dos defesas Rolando e de Esgaio e ainda para a estreia a marcar de (mais) um jovem criado na Cidade Desportiva: o avançado Vítor Oliveira, de 20 anos, que teve a honra de selar o triunfo com um penálti certeiro no cair do pano.
Alertado para o perigo destes jogos de ‘festa’ e para registo invicto do adversário, a equipa do SC Braga abordou o encontro com a seriedade que se exigia e impôs a sua maior qualidade de forma natural. Carlos Carvalhal encetou muitas alterações no onze, mas sem descaracterizar o ‘chip’ dos Guerreiros que tão bons resultados tem dado esta temporada em todas as competições. Na verdade, quem teve oportunidade mostrou serviço.
O SC Braga entrou a todo o gás no jogo e o Torrense resistiu até aos 24 minutos, altura em que Rolando abriu o marcador, num cabeceamento após cruzamento de João Novais. Quatro minutos volvidos, o SC Braga ampliou por Abel Ruiz, desta vez servido por Galeno. Quebrada a resistência do líder da Série F do Campeonato de Portugal, o Braga fez a partir daqui o que lhe competia: controlar o jogo e acelerar quando tinha que o fazer.
Mas foi já na segunda parte que o resultado avolumou-se. Lançado no reinício, Esgaio fez o terceiro, aos 51 minutos, na sequência de um canto, e pouco tempo depois Abel Ruiz também aproveitou as facilidades na defesa do Torreense para bisar.
Num jogo já sem história, o guarda-redes Marcelo Valverde ainda foi evitando males maiores, mas viu balançar as suas redes pela última vez nos descontos, num penálti desnecessário.
Missão cumprida, a equipa de Carvalhal marcou encontro com o Santa Clara na próxima eliminatória da Taça, a disputar em casa no final deste mês.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho