Correio do Minho

Braga,

- +
Guimarães acolhe jornadas de investigação clínica e actividade científica
Na cabeça de Vítor Carvalho não há espaço para se pensar em lotarias

Guimarães acolhe jornadas de investigação clínica e actividade científica

Politécnico deve ser “locomotiva na preparação das candidaturas aos fundos comunitários”

Guimarães acolhe jornadas de investigação clínica e actividade científica

Vale do Ave

2021-06-23 às 21h00

Redacção Redacção

Dois dias de trabalho para debater sinergias entre Cuidados de Saúde Primários e Hospitalares. Evento único que reúne diversas especialidades e entidades da saúde.

São mais de duas centenas de participantes nas primeiras Jornadas de Investigação Clínica e Actividade Científica, a decorrer esta terça e quarta-feira em Guimarães, com o objectivo de criar novos espaços de colaboração científica no processo assistencial aos pacientes.

O mentor da organização, Pedro Cunha, apontou esta iniciativa como “uma nova etapa em diferentes domínios na cooperação entre instituições de serviço público nacionais, através de uma plataforma de conhecimento alicerçada na troca de experiências com a perspetiva de aprofundar esse conhecimento. Este é um local de encontro de investigadores clínicos das diferentes disciplinas, diferentes tipologias de saúde, profissionais e académicos, com o objectivo único de criar novos espaços de colaboração científica”, salientou.

Pedro Cunha mencionou, na sessão de abertura, o apoio da Câmara Municipal de Guimarães ao proporcionar as “condições físicas e o apoio constante para projectar novas dimensões colaborativas, sem aliar o papel fundamental que o Município desempenhou e desempenha na pandemia que vivemos”, referiu o Director do Centro Académico e de Formação do HSOG.

O Presidente da Câmara, Domingos Bragança, vincou que o tema da saúde “diz respeito a toda a comunidade” e manifestou a colaboração de Guimarães para a promoção de acções na área da investigação clínica, no âmbito de uma cooperação já enraizada com a Universidade do Minho e os Centros de Conhecimento instalados no território.

“É importante estabelecer sinergias entre os Centros de Saúde, Cuidados Primários e Cuidados Hospitalares, para que de um modo articulado seja possível criar condições de bem-estar para os cidadãos. Guimarães é um território que está aberto a modelos colaborativos e de cooperação, com as Escolas, Universidade, Centros de Conhecimento, Hospital e desenvolver projectos de investigação e inovação”.

Domingos Bragança defendeu a necessidade de reforçar a rede hospitalar no sentido de garantir as melhores respostas com os recursos da região, em articulação com os ACES da região, com os Hospitais e Centros de Saúde. “Há ainda muito para fazer na coordenação entre os Centros de Saúde e a Rede Hospitalar. Existe vontade, mas é importante colocar na prática através dos meios tecnológicos disponíveis, com a necessária eficácia, reforçando a capacidade de colaboração e encontrar novas soluções que esta pandemia acabou por nos ensinar”, salientou.

Em representação da ARS-Norte, o director do ACES do Alto Ave, Novais de Carvalho, evidenciou que “esta é uma oportunidade única para a troca de impressões entre as várias especialidades” dado o momento em que várias entidades e organizações foram envolvidas para o debate e interligação de diferentes especialidades de saúde.

O presidente do Conselho Administração do Hospital de Guimarães, Henrique Capelas, apontou que “estas jornadas são importantes pelo seu grande impacto clínico e científico, com um duplo vetor na partilha do processo de investigação que é permitir um progressivo incremento na investigação científica aos níveis dos cuidados primários e cuidados hospitalares”.

A sessão de abertura destas jornadas contou ainda com as intervenções de Nuno Sousa (Presidente da Escola de Medicina da Universidade do Minho); Teresa Machado Luciano (Vice-presidente da AICIB – Agência de Investigação Clínica e Inovação Biomédica); Emília Monteiro (Coordenadora PTCRIN - Rede Portuguesa Infraestruturas para Investigação Clínica) e Frederico Abreu, ACES Ave/Famalicão.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho