Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Guimarães no centro da transformação digital com instalação de supercomputador
Reactivada retaguarda distrital com 70 camas

Guimarães no centro da transformação digital com instalação de supercomputador

Mujães já tem mais rede de águas residuais

Guimarães no centro da transformação digital com instalação de supercomputador

Vale do Ave

2020-10-23 às 23h30

Redacção Redacção

Manuel Heitor, Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, destacou a necessidade de articulação entre setor público e privado para uma estratégia a nível europeu na área da computação.

O campus de Azurém da Universidade do Minho, em Guimarães, foi palco de um seminário sobre a nova estratégia para a expansão do MACC - Minho Advanced Computing Center.

A sessão, organizada pelo Programa Portugal INCoDe.2030, contou com a participação por videoconferência do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, que evidenciou o “grande avanço de Portugal, nos últimos dez anos, na área da computação” e apontou o caminho de uma maior “articulação entre o setor privado e público” no encontro de uma estratégia a nível europeu. O Ministro fez referência à “enorme colaboração do Município de Guimarães para a instalação do supercomputador no Avepark” e vincou que o processo da transformação digital “deve estar sempre nas pessoas e no impacto social”, no sentido de proporcionar “maior conhecimento tecnológico”.

O novo supercomputador, denominado “Deucalion”, é central para a estratégia nacional de computação avançada, definida pelo Ministério da Ciência para o desenvolvimento de infraestruturas, tecnologia e serviços informáticos avançados que irão fortalecer a ciência científica, capacidades tecnológicas e competitividade industrial.

Os supercomputadores são utilizados para simulações de sistemas químicos e físicos, com capacidade para realizar trabalhos em horas ou dias, enquanto num computador "normal" demora semanas ou meses.

Domingos Bragança destacou na sua intervenção que “a Câmara de Guimarães continua a abraçar projetos para o futuro” assente numa estratégia de cooperação e desenvolvimento que tem sido constante em projetos da Universidade do Minho e da Fundação para a Ciência e Tecnologia. “Guimarães afetou cerca de 80% dos fundos comunitários, através do programa 2020, em requalificação de espaços e projetos para a Universidade do Minho, entidades de investigação e o Instituto Politécnico do Cávado e Ave. Apoiamos os projetos que robusteçam a produção de ciência e conhecimento no sentido de termos um território mais capacitado, principalmente para servir as pessoas e as empresas”, vincou o presidente da Câmara de Guimarães.

O debate contou com diversos tópicos sobre a gestão do MACC, no âmbito dos serviços de computação avançada que sirvam melhor os grupos de investigação e as empresas portuguesas, contando com as intervenções do coordenador geral do programa INCoDe.2030 e da Estratégia Nacional de Computação, Nuno Feixa Rodrigues, e o diretor-geral adjunto da DG Connect, da Comissão Europeia, Khalil Rouhana.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho