Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Homem de cerca de 50 anos morre atropelado em estrada nacional em Melgaço
Expectativa da AEB aponta para impacto económico “a superar os 20 milhões”

Homem de cerca de 50 anos morre atropelado em estrada nacional em Melgaço

´Ruílhe Park´ possibilita valorização do espaço público e melhoria da qualidade de vida dos cidadãos

Homem de cerca de 50 anos morre atropelado em estrada nacional em Melgaço

Casos do Dia

2024-05-26 às 18h00

Redacção Redacção

Ao local acorreram os bombeiros de Melgaço, com uma ambulância, um veículo de desencarceramento e um veículo de comando, e a GNR com duas patrulhas.

Citação

Um homem morreu atropelado na Estrada Nacional 202, em Alvaredo, Melgaço, disse à agência Lusa fonte do Comando Sub-Regional de Emergência e Proteção Civil do Alto Minho.
De acordo com a Proteção Civil, às 16:41 de sábado foi dado o alerta de atropelamento de um homem de cerca de 50 anos, presumivelmente por uma viatura ligeira, e a morte da vítima foi declarada no local, obrigando ao corte daquela estrada nacional.
Ao local acorreram os bombeiros de Melgaço, com uma ambulância, um veículo de desencarceramento e um veículo de comando, e a GNR com duas patrulhas.
Da parte do INEM esteve presente uma viatura médica do hospital de Viana do Castelo, mas aquela fonte da Proteção Civil disse não ter “qualquer indicação de ter ido uma viatura SIV”, de Suporte Imediato de Vida.
No total, no local estiveram sete veículos operacionais e 18 meios humanos. Chegou a ser equacionado o recurso a um helicóptero, mas acabou por não ir ao local, por ter sido declarada a morte da vítima, disse.
A circulação naquela estrada nacional retomou a normalidade cerca das 18:00.
Sobre este acidente, o Sindicato dos Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar afirmou hoje que coincide “com um longo período de inoperacionalidade” da ambulância SIV do INEM, sediada em Melgaço, por falta daqueles profissionais especializados.
Em comunicado, aquele sindicato pede explicações ao conselho diretivo do INEM, alegando que já houve outro caso “em que um cidadão [acabou] por não ter acesso atempado a cuidados de emergência médica diferenciados por uma ambulância [estar] encerrada por falta de técnicos de emergência pré-hospitalar”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho