Correio do Minho

Braga, sábado

- +
ICNF declara oliveira do claustro como Árvore de Interesse Público
Braga’27 lança convocatória para projectos artísticos

ICNF declara oliveira do claustro como Árvore de Interesse Público

12ª edição dos Contornos da Palavra celebra Liberdade

ICNF declara oliveira do claustro como Árvore de Interesse Público

Vale do Ave

2021-02-27 às 12h12

Redacção Redacção

A particular importância e atributos daquele exemplar são, por isso, para o ICNF, reveladores da necessidade de “cuidadosa conservação” e justificam o relevante interesse público da sua classificação. O Instituto ressalva, ainda, que a oliveira apresenta bom estado vegetativo e sanitário e não aparenta sinais de pouca resistência estrutural ou risco sério para a segurança de pessoas e de bens.

A oliveira do claustro da Colegiada da Oliveira/Museu de Alberto Sampaio, em Guimarães, foi classificada como árvore de Interesse Público. O pedido foi apresentado pela Câmara Municipal de Guimarães, que invocou as “características específicas do exemplar”, e o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) confirmou que a árvore, da espécie Olea europaea L., reúne os critérios gerais de classificação e parâmetros de apreciação.

Para o ICNF, a oliveira apresenta um “desenvolvimento natural e elegante e o tronco revestido por formações escultóricas de interessante efeito visual”, resultantes de rebentos que partindo da sua base o acompanham até se integrarem nele. Reconhecendo o “particular significado paisagístico em causa”, aquele organismo sublinha a “configuração graciosa e morfologia invulgar” da árvore e acrescenta que o facto de se enquadrar num claustro do século XIII, junto a dois túmulos encaixados na parede das escadas de acesso à Igreja, lhe confere “um elevado valor cénico”.

A particular importância e atributos daquele exemplar são, por isso, para o ICNF, reveladores da necessidade de “cuidadosa conservação” e justificam o relevante interesse público da sua classificação. O Instituto ressalva, ainda, que a oliveira apresenta bom estado vegetativo e sanitário e não aparenta sinais de pouca resistência estrutural ou risco sério para a segurança de pessoas e de bens.

A decisão de classificação estabelece uma zona geral de proteção definida, excecionalmente, por um raio de 10 metros a contar da base da oliveira. Ficam também proibidas quaisquer intervenções que possam destruir ou danificar o exemplar classificado, carecendo de autorização prévia do ICNF todas as operações de beneficiação.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho