Correio do Minho

Braga,

- +
Instituto de Educação tem desafio de recrutar estudantes
Câmara de Barcelos aprova mais apoios educativos e sociais

Instituto de Educação tem desafio de recrutar estudantes

Vivências de uma narradora de histórias contadas em livro no ‘Braga em Risco’

Instituto de Educação tem desafio de recrutar estudantes

Ensino

2019-05-29 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Leandro Almeida volta a assumir a presidência do Instituto de Educação da Universidade do Minho. Captar mais alunos com a diversificação da oferta formativa é o grande desafio do mandato.

O recrutamento de estudantes num momento de redução clara da procura dos cursos que habilitam para a docência é o “grande desafio” que, na opinião do reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, enfrenta a nova presidência do Instituto de Educação que ontem tomou posse.
Leandro Almeida sucede a José Augusto Pacheco à frente do IE, uma das unidades orgânicas fundadoras da Universidade do Minho que, na última década, perdeu cerca de um terço dos alunos. Tanto o novo presidente como o reitor apontaram, na cerimónia de tomada de posse, a reorganização da oferta formativa como uma das prioridades para os próximos anos.

Leandro Almeida, que é acompanhado neste mandato pelas vice-presidentes Maria Alexandra Gomes e Natália Fernandes, destacou a necessidade de reestruturar a oferta pós-graduada do IE, a par do “esforço de prospecção para o 1.º ciclo” e da identificação de “novas áreas de formação”.
Rui Vieira de Castro, oriundo do IE, adiantou que “existe ainda espaço de recrutamento para o ensino superior” e que esta unidade orgânica pode explorar a “valorização do ensino à distância” e as necessidades de formação pedagógica dentro da própria Universidade do Minho.

O reitor questionou se será possível “sustentar” a actual oferta de 19 mestrados e aconselhou a uma “maior valorização do espaço europeu” na estratégia de internacionalização do IE, que tem estado muito centrada no Brasil, países africanos de expressão portuguesa e Timor Leste.
No que diz respeito à investigação, Leandro Almeida referiu, ontem, o “teste importante” que o IE vai enfrentar, dentro de dias, com a avaliação externa do Centro de Investigação em Educação (CIEd) e do Centro de Investigação em Estudos da Criança (CIEC), sendo que a oferta formativa de doutoramento ficará dependente desses resultados.
O novo presidente defendeu o reforço de cooperação entre os dois centros, bem como da captação de financiamento externo.

“O desenvolvimento sustentável do IE, como estrutura de ensino e de investigação das mais antigas da nossa Universidade, é tão expressiva que chegou a organizar-se em duas escolas, passando por saber equacionar, nos dias de hoje e para os próximos anos, a sua missão e focar aí a sua atenção, os seus recursos e esforços mais significativos. Precisamos de convergir para consensos de forma a aprofundarmos a análise dos problemas e a elegermos as propostas mais robustas para a sua superação”, declarou Leandro Almeida numa cerimónia em que o reitor, ao lembrar alguns momentos da história do IE, reconheceu o contributo da unidade orgânica “para a qualidade da investigação em Educação que se faz em Portugal”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.