Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
‘Instituto Monsenhor Airosa: “Uma obra que serve de memória futura de um passado grandioso”
Freguesias de Guimarães com recolha de resíduos porta-a-porta

‘Instituto Monsenhor Airosa: “Uma obra que serve de memória futura de um passado grandioso”

Famalicão garante autocarros gratuitos para a noite de Carnaval

‘Instituto Monsenhor Airosa: “Uma obra que serve de memória futura de um passado grandioso”

Braga

2022-12-09 às 09h00

Libânia Pereira Libânia Pereira

‘Instituto Monsenhor Airosa - 150 anos a dignificar a pessoa humana’ foi apresentado ontem publicamente. A obra vem deixar “nos anais da história a vida desta instituição e do seu fundador”.

Citação


O livro ‘Instituto Monsenhor Airosa - 150 anos a dignificar a pessoa humana’ foi apresentado ao início da tarde de ontem. A obra foi criada com o intuito de “deixar nos anais da história a vida desta instituição e a presença do seu fundador”, e foi considerada como portadora de “um imenso valor histórico e artístico, mas acima de tudo, de um legado da enorme grandeza humana”.
O dia de ontem foi vivido com grande emoção no Instituto Monsenhor Airosa (IMA). O dia da sua padroeira, Imaculada Conceição, foi o dia escolhido para a apresentação do livro ‘Instituto Monsenhor Airosa - 150 anos a dignificar a pessoa humana’, uma obra que assinala os 150 anos desta casa, e cuja apresentação foi adiada por dois anos também devido aos constrangimentos da pandemia.
Segundo a presidente da Comissão Administrativa do IMA, Cidália Teixeira, o que se pretende é “deixar nos anais da história a vida desta instituição, a presença de Monsenhor Airosa, o que fez pelas jovens que acolheu no século passado, assim como o trabalho que depois foi continuado pelas Irmãs Dominicanas”.
O livro foi apresentado por Fátima Amorim, para quem esta é “uma obra que serve de memória futura de um passado grandioso. Trata-se da memória de uma instituição que encerra em si a personificação do seu fundador, uma figura magnânima, de personalidade carismática, nobre e determinado, um exemplo do que é ser um instrumento de Deus ao serviço do bem comum”, considerou.
‘Instituto Monsenhor Airosa - 150 anos a dignificar a pessoa humana’ retrata e documenta “a essência desta instituição consubstanciada numa sentida homenagem ao seu fundador e a todos os que com ele colaboraram e colaboram nesta missão”, referiu.
Fátima Amorim sublinhou o “imenso valor histórico e artístico”, assim como “o enorme legado da grandeza humana que esta obra encerra em si”.
O coordenador da obra, Ernesto Português, lembrou que “com esta publicação cumpriu-se um desejo do antigo presidente da direcção Luís Gonzaga Dinis”.
Para Ernesto Português, este livro “pretende fazer a ponte entre o passado e o futuro, sem esquecer o presente histórico”. “Este é um registo significativo acerca desta instituição e do seu fundador, um registo que vai permitir levar para fora de portas uma história que merece ser conhecida”, defendeu.
No final da apresentação do livro foi celebrada uma eucaristia presidida por D. Nuno Almeida e pelo padre Andreas Lind, assistente espiritual da casa.
‘Instituto Monsenhor Airosa - 150 anos a dignificar a pessoa humana’ pode ser adquirido na portaria do IMA, tendo um custo de 20 euros. Esta é uma edição única composta por 150 exemplares.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho