Correio do Minho

Braga, terça-feira

Interdição da Praia Fluvial de Merelim S. Paio
“A Universidade do Minho gosta de alunos pró-activos e criativos”

Interdição da Praia Fluvial de Merelim S. Paio

Barcelos BUS já circula em nome de melhor mobilidade urbana

Nacional

2018-06-06 às 14h40

Redacção

Pedro Soares, deputado na AR do Bloco de Esquerda, eleito pelo círculo eleitoral de Braga, questiona Governo sobre interdição da praia fluvial de Merelim S. Paio

Na sequência da decisão da Agencia Portuguesa do Ambiente (APA), que determinou que a praia fluvial de Merelim São Paio, no Rio Cávado, concelho de Braga, não abrirá na época balnear de 2018 devido a má qualidade da água, o Bloco de Esquerda quer saber se o Ministério do Ambiente está a preparar algum plano para a despoluição da bacia hidrográfica do Cávado.

No documento subscrito por Pedro Soares, deputado do Bloco de Esquerda eleito pelo circulo eleitoral de Braga, refere que "apesar de a praia fluvial de Merelim São Paio ser muito procurada pela população da região, principalmente durante o verão, e ter boas acessibilidades e condições, como um relvado extenso, parque de merendas com sombras, um pequeno bar de apoio e instalações sanitárias, o facto de a qualidade da água balnear estar afetada, eventualmente por contaminação fecal, impede o seu usufruto sobretudo no que toca à sua utilização balnear".

Para o deputado bloquista, "a não abertura da praia fluvial de Merelim São Paio na época balnear de 2018, para além de indicar a existência de um problema sério de poluição no Rio Cávado, causa evidente prejuízo para a população e para a região".

Assim, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda pretende que o Ministério do Ambiente esclareça se os resultados da monitorização da qualidade da água na praia fluvial de Merelim São Paio, que acabaram por determinar a sua não abertura na presente época balnear, deram origem a alguma intensificação da fiscalização de fontes de poluição naquele troço do Rio Cávado; que medidas estão a ser adotadas pelo Ministério do Ambiente para identificação das fontes poluidoras, nomeadamente descargas ilegais e mau funcionamento da ETAR a montante, que afetam a qualidade da água na praia fluvial de Merelim São Paio; e que garantias pode o Ministério do Ambiente avançar de modo a que a praia fluvial de Merelim São Paio possa ser utilizada na próxima época balnear.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.