Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
IPVC investe 3 ME na criação de centro de apoio tecnológico à indústria
Banda Nova de Barroselas “assinou há 85 anos um compromisso com a cultura”

IPVC investe 3 ME na criação de centro de apoio tecnológico à indústria

Ignácio convida a fazer boa refeição com muita história

IPVC investe 3 ME na criação de centro de apoio tecnológico à indústria

Ensino

2019-07-30 às 12h33

Redacção Redacção

Centro vai ser instalado na In.Cubo, em Arcos de Valdevez, e estará em funcionamento em 2020. Protocolo é assinado hoje.

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) vai investir três milhões de euros num Centro de Apoio Tecnológico à Indústria do Alto Minho (CATIAM) a instalar na In.Cubo - Incubadora de Iniciativas Empresariais Inovadoras, em Arcos de Valdevez.
Em declarações à agência Lusa, o ainda presidente do IPVC, Rui Teixeira, explicou que a nova estrutura, comparticipada por fundos comunitários, vai ser dotada de um laboratório de novas tecnologias, no âmbito da alta maquinação, da impressão 3D e da robótica.
O novo centro “deverá entrar em funcionamento no início de 2020”, na In.Cubo, em Arcos de Valdevez, acrescentou.

Criada em 2007, aquela incubadora de iniciativas empresariais é participada pela Câmara de Arcos de Valdevez, pelo IP- VC e pela Associação para o Centro de Incubação de Base Tecnológica do Minho (ACIB-TM).
O protocolo de criação do Centro Apoio Tecnológico à Indústria do Alto Minho é assinado hoje, pelas 14.30 horas, entre a Câmara de Arcos de Valdevez e o IPVC.
Segundo Rui Teixeira, o CATIAM tem como objectivos “ajudar na formação e na profissionalização dos recursos humanos, na Inovação, Desenvolvimento e Investigação (ID&I), e na prestação de serviços altamente especializados”.
Rui Teixeira explicou que o novo centro “será dotado de uma equipa de especialistas que realizarão trabalho científico, o que acontecerá pela primeira vez no distrito”.

“Esses investigadores, integrados na política Inovação, Desenvolvimento e Investigação (ID&I) do IPVC, irão fazer um trabalho científico de apoio à indústria do Alto Minho que, nesta altura, não existe na região”, disse.
Como exemplos apontou o “levantamento das tecnologias instaladas nas empresas existentes no Alto Minho e as necessidades de profissionais e de profissionalização de recursos, bem como de projectos de investigação”.
O CATIAM vai permitir “a formação de recursos humanos no âmbito dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTESP), licenciaturas, formação avançada ou pós-graduações, de duração e áreas diferentes, conforme às necessidades das indústrias instaladas no distrito de Viana do Castelo”.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves disse que a criação daquela estrutura representa um “valor acrescentado para o concelho, e para a região do Alto Minho”.
“O CATIAM vai apoiar as indústrias do Alto Minho quer em termos de investigação, de inovação, de formação e qualificação. Um apoio que só os meios do IPVC podem colocar ao serviço da região”, sustentou o autarca social-democrata.
João Manuel Esteves acrescentou que a criação da nova estrutura representa “a verdadeira aproximação do mundo científico ao mundo empresarial, constituindo-se como um elemento diferenciador, de incentivo à instalação de novas empresas”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.