Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Ivo Vieira: “Vamos trabalhar para encurtar distâncias”
Famalicão: Campanha ‘Produto que é nosso’ prolongada até 23 de Agosto

Ivo Vieira: “Vamos trabalhar para encurtar distâncias”

Frei Caetano Brandão regista a maior subida de alunos dos últimos cinco anos

Ivo Vieira: “Vamos trabalhar para encurtar distâncias”

Desporto

2020-06-30 às 09h00

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

Ivo vieira admitiu efeitos negativos pela derrota diante do SC Braga, mas ressalva ‘obrigatoriedade’ de vencer Setúbal para ainda sonhar com Europa.

No sétimo lugar do campeonato, com 40 pontos, a cinco do Famalicão, que está em quinto e em posição de aceder à Liga Europa, o V. Guimarães tem hoje (19.15 horas) um desafio no qual não tem qualquer margem de erro, a recepção ao V. Setúbal.
“Não temos de fugir à realidade. As coisas estão-se a distanciar. Vamos trabalhar para encurtar distâncias. Um resultado como aquele contra um rival [Braga] a que queríamos muito ganhar tem um peso grande. Não tivemos a felicidade de somar pontos. Há uma tristeza enorme no seio do grupo, mas isso já está ultrapassado para nos focarmos no jogo com o Setúbal”, garantiu o técnico Ivo Vieira, que não espera facilidades para este duelo com a formação sadina.
“O Vitória de Setúbal já não ganha há algum tempo, mas todas as equipas encaram o jogo contra o Vitória com um foco muito grande de ganhar, porque é um jogo motivante, com visibilidade. Esses jogadores crescem emocionalmente nos jogos contra nós. Mas temos de assumir o jogo e de contrariar a motivação com que os adversários chegam aqui. Vamos ter um Vitória de Setúbal a criar problemas”, salientou, confirmando a indisponibilidade do defesa-central ucraniano Bondarenko. Ainda assim, o técnico prometeu encontrar soluções para contraria as ausências, admitindo que a equipa ainda não conseguiu exibir o “mesmo rendimento” que apresentara antes da paragem.
Ivo Vieira puxou a si a responsabilidade pela quebra física que a equioa tem demonstrado, acima de tudo nas segundas partes com Belenenses SAD e Moreirense, recusando sentir “conforto” nas ‘vitórias morais’.
“São mais um ‘chavão' ou desabafo para se ter algum conforto quando não se ganha. Mas isso não me dá conforto. A responsabilidade [do insucesso] é minha. Não é dos jogadores, nem dos adeptos. É exclusivamente minha. Não vou fugir às minhas responsabilidades.”

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho