Correio do Minho

Braga,

- +
José Mendes: “A ideia de um interior atrasado é completamente falsa”
Vizela: Aluno da escola EB 2/3 de Infias infectado com o vírus da Covid-19

José Mendes: “A ideia de um interior atrasado é completamente falsa”

EPATV: 27 anos de credibilidade competência e humanismo...

José Mendes: “A ideia de um interior atrasado é completamente falsa”

Entrevistas

2020-08-10 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

José Mendes, secretário de Estado do Planeamento, juntou mais mil quilómetros ao seu currículo de ciclista. Com ‘Portugal Diagonal’, o governante bracarense quis provar que há um interior “seguro, inescapável e autêntico”.

Mil quilómetros percorridos em cima da bicicleta, de Bragança a Sagres, permitiram ao secretário de Estado do Planeamento, José Mendes, concluir que há um interior de Portugal “seguro, inescapável e autêntico”. Como muitos outros portugueses, o bracarense que no Governo anterior assumiu funções nas áreas do Ambiente e da Mobilidade, decidiu passar alguns dias de férias ‘cá dentro’. Sozinho, percorreu um ‘Portugal Diagonal’ durante dez dias, entre 24 de Julho a 2 de Agosto.
Ao Correio do Minho, o governante declarou que a estes “mil quilómetros da minha vida” permitiram constatar que “a ideia de um interior atrasado é completamente falsa”.

Quando iniciou, em terras transmontanas, esta Volta a Portugal pelo interior tinha como propósito “desfazer esse mito”. No final da ‘meta’ de Sagres, considerou que a missão foi cumprida.
“No interior as coisas funcionam bem. Há serviços e infraestruturas. Está lá tudo. Nos aglomerados urbanos do interior consegue-se melhor qualidade de vida do que no litoral”, assegura.
Se assim é, por que sofre o interior de desertificação humana? A resposta do governante-ciclista é imediata: por causa do emprego. Logo, “o trabalho que é preciso fazer é fixar empresas no interior, mas empresas com escala”, sobretudo industriais, mas também dos sectores agrícola e florestal.

Tudo o resto o interior, nomeadamente segurança, “um valor absolutamente inestimável” que José Mendes comprovou em dez dias de viagem quase sempre sozinho, sem apoio e quase sempre sem reservas para se alojar
O secretário de Estado do Parlamento comprovou também, de Bragança a Chaves, um interior com “estradas seguras e bem sinalizadas”.
José Mendes está consciente que este desafio de reindustrialização do interior encerra mais dificuldades do que o seu ‘Portugal Diagonal’, cumprido sem grandes sobressaltos numa dezena de dias.

José Mendes assegura que ‘Portugal Diagonal’ permitiu-lhe desfazer “o mito do grande défice do Portugal interior”. Pelo contrário, “o interior tem uma proposta de valor incalculável”, assim recupere da “retirada do emprego” que sofreu nas últimas décadas.
Na aventura ciclista que cumpriu com o país ainda a sofrer os efeitos da crise pandémica provocada pela Covid-19, o secretário de Estado do Planeamento diz ter encontrado “confiança e optimismo na cara das pessoas” num interior “com valor e equilíbrio”.

“Mais do que férias, foi uma aprendizagem”

“Motivar o uso da bicicleta” foi outra das motivações que levou o secretário de Estado do Planeamento a realizar o ‘Portugal Diagonal’. Aqui e além, alguns amigos fizeram-lhe companhia numa aventura programada a solo. Em todos os sítios onde parou confessa ter tido um apoio e acolhimento calorosos.
Quis também José Mendes, com a publicitação desta sua aventura nas redes sociais e em vários órgãos de comunicação social, relevar as vantagens de “fazer férias em Portugal”, no Portugal interior. Sobretudo neste momento inusitado em que as deslocações para o exterior estão ainda bastante limitadas e as grandes concentrações nos tradicionais destinos litorais acarretarão riscos e contratempos.

À questão se esta viagem de dez dias pelo ‘Portugal Diagonal’ foi, mais do que um período de férias, uma aprendizagem para alguém com responsabilidades de Planeamento no actual Governo, o bracarense, professor e investigador ligado à Universidade do Minho, confessa que “na política estamos sempre ao serviço, embora possamos ter alguns dias de descanso”.
Com uma média de 100 quilómetros percorridos por dia no ‘Portugal Diagonal’, o descanso de José Mendes terá sido apenas mental, embora o gosto pelos passeios de bicicleta não seja recente em José Mendes. Nos fins de semana sem agenda governativa é muito frequente vê-lo cumprir quilómetros a pedalar. Uma paixão que cresceu com a aventura do ‘Portugal Diagonal’.

De volta ao gabinete com Plano de Recuperação

De regresso ao gabinete, o secretário de Estado do Planeamento tem como grande missão para os próximos meses colaborar na elaboração no Plano de Recuperação Económica e Social, a partir da proposta elaborada por António Costa Silva e colocada em debate público.
“Teremos de entregar um primeiro draft em Bruxelas em Outubro. Por isso estamos já a trabalhar este mês e em Setembro”, adianta-nos José Mendes.
Já o Plano definitivo “deverá ser apresentado em Abril do próximo ano, aquando da apresentação do Plano Nacional de Reformas, no âmbito do Semestre Europeu”.
Revela o secretário de Estado do Planeamento que “nessa altura deveremos ter consolidados os programas de reformas e investimentos e as metas e objetivos a cumprir para obter financiamento, que incluirão a correcção de desequilíbrios macroeconómicos”.

O Plano de Recuperação Económica e Social balizará os financiamentos comunitários de 15,3 mil milhões a que Portugal tem direito no âmbito do Fundo de Recuperação, a que se somam 30 mil milhões ao Quadro Financeiro Plurianual.
Durão Barroso, ex-presidente da Comissão Europeia, afirmou recentemente que Fundo de Recuperação aprovada para responder à crise na União Europeia chega quase a ser uma “orgia financeira”, declaração que José Mendes lamenta, considerando que parte de alguém à procura de “querelas políticas” e “protagonismo” que já não tem. “Bruxelas não passa um cheque em branco. O dinheiro é dado?à medida da execução dos projectos”, avisa.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho