Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Jovem talento de Braga impressiona júri do ‘Got Talent’
Chegaram a Portugal vindas da China 40 mil máscaras para o Concelho de Vizela

Jovem talento de Braga impressiona júri do ‘Got Talent’

Investimento de quatro milhões vai requalificar estradas de Vila Verde

Jovem talento de Braga impressiona júri do ‘Got Talent’

Braga

2020-02-18 às 10h00

Paula Maia Paula Maia

Gonçalo Pires interpretou ao violoncelo o Prelúdio da Suite 1, de Bach, e conquistou o público e o júri que lhe deu passagem directa às semifinais ao atribuir-lhe o ‘botão dourado’.

Gonçalo Pires, aluno do Conservartório de Música Calouste Gulbenkian, impressionou o júri do programa televisivo ‘Got Talent Portugal’ com a sua interpretação em violoncelo do Prelúdio Suite1, de Bach.
O jovem talento recebeu uma ovação de pé por parte do público e dos jurados. Manuel Moura dos Santos, um dos jurados do concurso, carregou no ‘botão dourado’ e ofereceu ao concorrente bracarense um passe directo para as semifinais do concurso.
As reacções à interpretação de Gonçalo Pires surgiram logo após a transmissão do programa, sobretudo nas redes sociais, com os cibernautas a elogiar o talento, a entrega e a sensibilidade do jovem estudante da Gulbenkian de Braga.
“Fantástico” e “absolutamente extraordinário” foram alguns dos comentários deixados nas redes sociais.
A terminar o 12.º ano, Gonçalo Pires ruma agora para a Royal Academy de Londres para continuar o seu percurso.
Orgulho foi o sentimento manifestado também pelo pai de Gonçalo ao CM. Artur Pires revelou que este foi um momento “especial” para Gonçalo e a família já que a participação no concurso televisivo teve lugar logo após a chegada de Londres onde, com sucesso, efectuou exames de admissão para Royal Academy. “Ficámos muito felizes com estas duas notícias”, revela o progenitor
Gonçalo Pires começou a tocar aos sete anos, altura em que entrou para o conservartório de música bracarense.
Ana Maria Caldeira, directora do Conservatório Calouste Gulbenkian de Braga, confessou também ao CM que Gonçalo sempre foi um aluno que se destacou no seu percurso e que a sua entrada na Royal Academy de Londres não é uma surpresa. “Ele entraria em qualquer escola da Europa”, assume a directora da Gulbenkian.
Além do talento inato, Ana Maria Caldeira destaca ainda a dedicação, o trabalho - juntamente com os seus professores -, mas sobretudo a “humildade” do aluno. “O Gonçalo tem uma auréola especial. Não basta ter só técnica, é necessário também um conjunto de emoções que ele reúne”, continua a responsável.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho