Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Labirinto das Artes de Famalicão forma cidadãos para as artes
Media Arts ‘ocupam’ edifício do GNRation

Labirinto das Artes de Famalicão forma cidadãos para as artes

‘Provedoras da cidadania transfronteiriça’ dão distinção à eurocidade Cerveira-Tomiño

Labirinto das Artes de Famalicão forma cidadãos para as artes

Vale do Ave

2019-04-02 às 06h00

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

É uma viagem no tempo proposta pelo Labirinto das Artes - o mais recente projecto de A Casa ao Lado localizado em Requião, Famalicão. O edil famalicense Paulo Cunha caracteriza-o como “fabuloso”.

É a volta ao mundo das artes em 180.º graus. O Labirinto das Artes - mais um projecto do Centro Artístico A Casa ao Lado, em Requião - foi, ontem, visitado pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, que o caracterizou de “fabuloso”. Trata-se de uma verdadeira viagem pelo mundo das artes desde o período Paleolítico com as gravuras rupestres até aos nossos dias com as gravuras de Vhils.
O Roteiro da Inovação, promovido pelo Município de Famalicão, fez questão de realizar esta incursão pelas artes que marcaram a Humanidade nas mais variadas épocas.

“Este labirinto das artes é uma ferramenta muito relevante no contexto do processo educativo e formativo dos nossos cidadãos”, sublinhou o autarca famalicense no final da ‘viagem’, assinalando que este será mais um grande atractivo para uma visita a terras de Famalicão pela mão da Cultura.
“É um percurso que permite, de uma forma imaginativa, criar condições para que as nossas crianças possam ter uma percepção mais rigorosa de um conjunto de factos históricos que é muito importante conhecer e que é um verdadeiro complemento àquilo que consideramos ser o verdadeiro projecto educativo concelho”, referiu Paulo Cunha, demonstrando satisfação por ver uma instituição como A Casa ao Lado crescer com a criação deste centro interpretativo. “São novas propostas que engrandecem e muito a resposta cultural e educativa do concelho de Vila Nova de Famalicão”, asseverou o presidente da Câmara.

Joana Brito e Ricardo Miranda são os mentores deste Labirinto das Artes. “Achámos que era necessário mostrar esse tipo de evolução do grafismo para que as pessoas chegassem a compreender até melhor aquilo que realizamos no exterior, o objectivo é exactamente esse - uma educação artística”, resumiu.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.