Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Lista B: Ricardo Costa quer unir socialistas e projectar o distrito
Geração Tecla coroada com mérito escolar

Lista B: Ricardo Costa quer unir socialistas e projectar o distrito

SC Braga: Emprestados de regresso para serem analisados à lupa por Carvalhal

Lista B: Ricardo Costa quer unir  socialistas e projectar o distrito

Braga

2020-07-15 às 06h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Ricardo Costa, lidera a Lista B à Federação Distrital de Braga do PS, cuja eleição decorre neste sábado. Além de “unir um partido marcado pela divisão constante”, o candidato propõe-se desenvolver “um projecto forte, coeso e estratégico” para o distrito de Braga.

Ricardo Costa é o rosto da alternativa política na corrida para a Federação Distrital de Braga do Partido Socialista, cuja eleição decorre no próximo sábado. O militante vimaranense encabeça a Lista B, cujo lema é ‘Todos Como Um. Todos Um.’, assumindo que tem um projecto estratégico para o distrito de Braga e que o seu grande objectivo é unir e agregar o partido, algo que diz não acontecer com a lista adversária que é de continuidade.
“Não podemos continuar a fazer política para gestão de lugares. Temos de fazer política que crie oportunidades para todos os cidadãos”, defende Ricardo Costa, que partiu para esta candidatura respondendo “ao desafio” que lhe foi lançado “por vários militantes” e assume como objectivo criar um projecto estratégico para o distrito, objectivo esse que está espelhado na moção que será sufragada no próximo sábado. Em entrevista ao ‘Correio do Minho’, refere que avançou também com a candidatura “por perceber que existem divisões por todo o distrito, em toda as Concelhias do PS”.
Ricardo Costa garante que sempre foi “leal com toda a gente” e que quando assumiu a candidatura falou “com quem tinha de falar”, acrescentando que nunca deu o seu apoio à outra lista. “É chegado um tempo novo, Não podemos ficar agarrados aos lugares durante 20, 30 ou 40 anos. Temos de ser capazes de dar voz e dar oportunidade a todos. Um dos grandes objectivos da minha candidatura é precisamente esse. Não podemos ter um partido que se fecha sobre si próprio”, refere, considerando que isso é o que acontece actualmente e que se percebe quando as concelhias desconhecem quem é o coordenador para as eleições autárquicas, para o património, para a economia, para a área social. “Isso não pode acontecer. As pessoas têm de perceber claramente qual é a estratégia para o distrito”, diz.
Uma das grandes aposta de Ricardo Costa passa precisamente por ter uma estratégia bem definida para o distrito. Nota, a título de exemplo, que Braga é o distrito mais industrializado do país, também é o distrito onde falta muito fazer em termos de mobilidade. “Temos de criar um território mais competitivo”, assume, dando como exemplo a necessidade de avançar com a ligação ferroviária entre o Quadrilátero Urbano. A lista opositora tem divulgado que tem o apoio de 11 das 14 concelhias do distrito. Ricardo Costa prefere não comentar e afirma, confiante, que “os apoios vão ver-se no sábado, quando a partir das 22 horas começarem a ser contados os votos”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho