Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Luta pelos direitos das Mulheres na base da celebração
Obra de 2,4 milhões de euros avança após acordo de gestão

Luta pelos direitos das Mulheres na base da celebração

Inaugurada obra de requalificação da rua das Fontes, em Mar

Luta pelos direitos das Mulheres na base da celebração

Nacional

2020-03-08 às 06h00

Redacção Redacção

Desde 1975 que as Nações Unidas oficializaram o Dia Internacional da Mulher. Mas este dia já era celebrado muito antes, tendo uma raiz trabalhista. Luta é associada a incêndio ocorrido em 1911 numa fábrica, onde morreram 146 trabalhadores.

Para muitos, o Dia Internacional da Mulher é apenas sinónimo de homenagens e de flores. Oficializado pela Organização das Nações Unidas em 1975, este dia já era celebrado muito antes. Nasceu com uma raiz trabalhista, mas hoje a data é lembrada em jeito de luta de igualdade de género.
Actualmente, o dia 8 de Março é comemorado em mais de 100 países como um dia de protesto por direitos ou de celebração do feminino, comparável ao Dia das Mães. Em outros países, a data é ignorada.
Apesar de ser comemorado desde 1909, o Dia Internacional da Mulher só foi proclamado oficialmente pelas Nações Unidas em 1975. E, somente em 1979 foi aprovada a Convenção para a eliminação de todas as formas de discriminação contra as mulheres.
Mas a origem da data escolhida para celebrar o dia das mulheres tem algumas explicações históricas.

Ainda hoje, esta data está muito relacionada com o incêndio, ocorrido em 25 de Março de 1911, numa fábrica, onde 146 trabalhadores morreram, sendo 125 mulheres e 21 homens (a maioria judeus). Mas há registos bem anteriores de reivindicações de mulheres.
A ideia de uma celebração anual surgiu depois que o Partido Socialista da América organizou um Dia da Mulher, em 20 de Fevereiro de 1909, em Nova York - uma jornada de manifestação pela igualdade de direitos civis e em favor do voto feminino.

Entretanto, durante as Conferências de Mulheres da Internacional Socialista, em 1910 em Copenhague, foi sugerido, por Clara Zetkin, que o Dia da Mulher passasse a ser celebrado todos os anos, sem que, no entanto, fosse definida uma data específica.
A partir de 1913, as mulheres russas passaram a celebrar a data com manifestações realizadas no último domingo de Fevereiro. Em 8 de Março de 1917 (23 de Fevereiro, no calendário gregoriano), ainda na Rússia Imperial, organizou-se uma grande passeata de mulheres, em protesto contra o desemprego e a deterioração geral das condições de vida no país. Entretanto, os operários metalúrgicos acabaram por se juntar à manifestação, que se estendeu por dias e acabou por precipitar a Revolução de 1917.

Nos anos seguintes, Dia da Mulher passou a ser comemorado naquela mesma data, pelo movimento socialista, na Rússia e em países do bloco soviético.
De ano para ano, esta data passou a ser assinalada em todo o mundo, dando estímulo à luta das mulheres pela igualdade de direitos. Além do mais, Março passou a ser um mês marcado por várias manifestações organizadas por mulheres.
Em Portugal, a luta pela implantação da República, que levou à queda do regime fascista, contou com a ajuda das mulheres, que até 1974 não tinham muitos dos direitos que deviam usufruir como cidadãs.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho