Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Ministra elogia visão integrada do desenvolvimento do concelho de Guimarães
Aproveite a ida à piscina e à praia fluvial também para ‘mergulhar na leitura’

Ministra elogia visão integrada do desenvolvimento do concelho de Guimarães

SC Braga: Emprestados de regresso para serem analisados à lupa por Carvalhal

Ministra elogia visão integrada do desenvolvimento do concelho de Guimarães

Vale do Ave

2020-07-10 às 06h00

Redacção Redacção

Após visitar vários equipamentos e conhecer os projectos futuros, a ministra da Coesão Territorial referiu sentir-se “inspirada pela visão estratégica de desenvolvimento do concelho” de Guimarães.

Após uma visita a vários equipamentos do concelho de Guimarães, a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa mos- trou-se “surpreendida e inspirada pelo projecto de desenvolvimento do território”.
Durante a visita, a ministra conheceu o plano de desenvolvimento do território que, durante os anos mais próximos, tem como objectivo colocar em prática uma visão de desenvolvimento centrada na digitalização da economia, com forte ligação ao centros de saber, no reskilling eupskilling dos recursos humanos, no empoderamento dos cidadãos através da ciência e do conhecimento, nas ligações da cultura às várias dimensões da sociedade, no desenvolvimento sustentável e na coesão territorial.

Ana Abrunhosa classificou a cooperação entre o Município de Guimarães, a Universidade do Minho (UMinho), o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) e o tecido empresarial como um “casamento feliz” que é exemplo para todo o país, pois evidencia os méritos de como ciência, conhecimento e criatividade podem concorrer para a qualidade de vida, para uma reindustrialização de base tecnológica e digital e para o futuro dos territórios.

Já o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, que se fez acompanhar do reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, do presidente executivo do Gabinete de Crise e da Transição Económica, António Cunha, do presidente da CCDR-N, Fernando de Sousa, da directora da UNU-EGOV, Delfina Soares, e da presidente do IPCA, Maria José Fernandes, fez questão de começar a visita pela Zona de Couros, uma “nova centralidade” que se pretende construir com base na recuperação e refuncionalização do edificado e na preservação do património industrial, e que tem vindo a ser alvo de um processo de candidatura a Património Cultural da Humanidade.

Domingos Bragança adiantou ainda que alguns dos projectos e equipamentos que foram dados a conhecer durante a visita serão, brevemente, uma realidade.
À refuncionalização do Teatro Jordão e da Garagem Avenida, que albergará a Escola de Artes Performativas e Visuais da UMinho e o Conservatório de Guimarães, juntar-se-á a da Escola-Hotel do IPCA, já com o projecto concluído e que, brevemente, verá o concurso para a sua obra a ser lançado.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho