Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Ministro da Administração Interna sublinha desempenho de Caminha na Protecção Civil
Covid-19: Tribunal da Concorrência fixa cauções aos clubes multados pela AdC

Ministro da Administração Interna sublinha desempenho de Caminha na Protecção Civil

Adepto do FC Vizela proibido de entrar em estádios após agressão a árbitro

Ministro da Administração Interna sublinha desempenho de Caminha na Protecção Civil

Alto Minho

2022-10-01 às 21h21

Redacção Redacção

José Luís Carneiro participou nas cerimónias de apresentação das EIP e do Dia Nacional da GNR

Citação

O Ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, esteve hoje em Caminha, onde participou em duas cerimónias. Logo pela manhã, visitou Riba de Âncora, onde foi feita a apresentação das novas Equipas de Intervenção Permanente (EIP) para o Concelho de Caminha. Trata-se de um reforço na estratégia de proteção civil do Município, que o governante classificou como um caso exemplar na Administração Local. Já no final da manhã, na Vila de Caminha, decorreu a cerimónia do Dia Nacional da GNR.
O local escolhido para apresentação das EIP foi o Lugar do Souto do Rego Grande, em Riba de Âncora, onde o governante pôde conhecer o trabalho desenvolvido na gestão de combustíveis com recurso a pastorícia, de caprinos e ovinos, orientado pelo Conselho Diretivo dos Baldios de Riba de Âncora.
Intervindo no início da cerimónia, o Presidente da Câmara, Rui Lages, destacou a gestão equilibrada e sustentável praticada no baldio, que classificou mesmo como “futurista”. Referiu, a propósito, a plantação de 15 hectares de castanheiros, a gestão de combustíveis com recurso a pastorícia com ovelhas (20 no momento) e cabras bravas (50 nesta altura) e a dois cães de guarda de rebanhos. A isto junta-se a opção pela energia de fonte renovável (solar), com 6 painéis solares já colocados que alimentarão toda a exploração. Acresce a videovigilância nas 24 horas, em tempo real, diurna e noturna com câmaras de infravermelhos, sendo também um auxílio à vigilância, com principal incidência na época crítica para a ocorrência de incêndios florestais.
Em projeto há ainda um parque de visitas para as escolas e público em geral.
O Presidente da Câmara sublinhou a importância do trabalho em conjunto e de forma coordenada com Juntas de Freguesia, Comissões de Baldios, ICNF, Bombeiros e Sapadores Florestais, com o objetivo de “cuidar e salvaguardar a nossa floresta e a nossa população”.
Sobre as EIP, Rui Lages referiu que o Município de Caminha conta agora com quatro equipas de profissionais. As EIP são constituídas por um chefe de equipa e por quatro bombeiros e cumprem com uma linha de orientação de profissionalização dos operacionais que, no âmbito do sistema de proteção civil, desempenham as missões cometidas aos corpos de bombeiros, a partir de uma parceria entre as Associações Humanitárias, os Municípios e a Autoridade de Emergência e Proteção Civil.
As quatro equipas de profissionais aquarteladas nos bombeiros de Vila Praia de Âncora e Caminha, implicam a mobilização de cerca de 170 mil euros/ano por parte da Câmara Municipal.

Rui Lages recordou também a criação, em 2018, de uma equipa de sapadores florestais e aludiu a todo o trabalho de limpeza e ações de fogo controlado, como partes importantes a política de prevenção. Refira-se que, no âmbito do planeamento municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, a ação da equipa de sapadores tem contribuído para uma execução significativa nestes últimos quatro anos.
O Presidente da Câmara informou também que neste momento está em curso a revisão do Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil do Município de Caminha.
O Ministro da Administração Interna enalteceu o trabalho do Município de Caminha, saudou as EIP e os bombeiros e focou a sua intervenção no período que agora se inicia, dizendo que outubro costumava ser o início de um período de acalmia, o que não se prevê este ano, já que se esperam, em alguns dias, temperaturas de 35 graus ou até superiores.
José Luís Carneiro sublinhou que este mês, e perante o cenário esperado, não se pode “baixar a guarda”, nomeadamente no que se prende com queimadas e máquinas agrícolas.
O Ministro revelou também que a investigação dos fogos subiu este ano, com 87% de casos sob investigação, o que representa 92% do total de área ardida. Só cerca de 27% das ocorrências, no entanto, terão sido originadas por incendiarismo.
Quanto a detidos, José Luís Carneiro frisou foi efetuada mais de centena e meia de detenções.
O Ministro destacou ainda o papel das alterações climáticas, lembrando que a Comissão Europeia já admitiu que cada país, só por si, não terá capacidade de combater os seus efeitos. Tudo isto, disse, implica uma grande responsabilidade coletiva. O risco de incêndio aumenta, destacou, quando se reúnem três fatores: temperatura acima dos 30 graus, ventos de mais de 30 quilómetros e menos de 30% de humidade; o que começa a ser vulgar para além do verão, daí a relevância de uma forte consciência coletiva.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho