Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Missão da sustentabilidade leva bracarenses a render-se à Fruta Feia
‘Espaço Fuga’ é novo refúgio das artes e animação do Agrupamento de Escolas de Real

Missão da sustentabilidade leva bracarenses a render-se à Fruta Feia

Vitória SC vai à procura dos primeiros pontos na UEFA

Missão da sustentabilidade leva bracarenses a render-se à Fruta Feia

Braga

2019-01-27 às 06h00

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

‘Gente bonita come fruta feia’ é o lema do projecto ‘Fruta Feia’, com a missão promover o escoamento de produtos hortícolas e frutícolas ‘feios’ por fora, mas “bons” por dentro. Os bracarenses já se renderam ao projecto.

‘Gente bonita come fruta feia’. É com este lema que o projecto ‘Fruta Feia’ chega também a Braga, movido por uma nova filosofia que impulsiona os consumidores para o caminho da sustentabilidade, fazendo frente ao desperdício alimentar. Apesar de ‘feia’, apenas por não cumprir com os ‘requisitos’ de perfeição estandardizados nos mercados.
“A fruta e os legumes que constam dos nossos cabazes, apenas não têm o calibre, a cor ou a forma necessária para serem escoados nos mercados e nas superfícies comerciais”, indica Mariana Queirós, uma das colaboradores da cooperativa sem fins lucrativos que dinamiza o projecto no concelho de Braga.

“Somos uma cooperativa sem fins lucrativos e, na prática, funcionamos como um outro meio de escoamento destes produtos frutícolas e hortícolas, que de outra forma não seriam vendidos pelos canais tradicionais”, explicou a colaboradora, indicando que abraçou este projecto pela filosofia que lhe está inerente de fazer algo para evitar o desperdício alimentar”.
A Fruta Feia arrancou em Lisboa, tendo actualmente 11 delegações, sete das quais em Lisboa e quatro no Porto. Chegou a Braga no ano passado, funcionando nos primeiros tempos no Bar Académico da Universidade do Minho, mas recentemente passou para a freguesia de Ferreiros e já são muitos os residentes na cidade que se renderam ao projecto.
“Estamos muito contentes com a adesão de Braga ao projecto e há cada vez mais pessoas interessadas em fazer parte”, indicou, a propósito, Mariana Queirós. “Ainda não chegámos aos 300 associados, mas o nosso objectivo é que chegar brevemente a esse patamar”, apontou.

João Costa: “É um projecto de grandes potencialidades”

João Costa, presidente da Junta da União de Freguesias de Ferreiros e Gondizalves, confessa-se “orgulhoso” por ter abraçado este projecto e ajudado a cooperativa Fruta Feia a instalar-se na freguesia de Ferreiros, mais especificamente no Pavilhão da Junta de Ferreiros. “Nós abraçámos o projecto desta cooperativa desde a primeira hora, porque consideramos que é algo que vem beneficiar centenas de pessoas do concelho de Braga, que encontram aqui produtos de qualidade, mas apenas não tendo o calibre ou a forma considerada por muitos como a ideal para serem comercializados pelos meios tradicionais e é óptimo ver que assim trabalhamos também para evitar o desperdício”.
“Este é um projecto de grandes potencialidades e que também nos beneficia a nós, junta, que lhes cedemos as instalações, uma vez que em troca nos oferecem 15 cabazes de produtos e que nós damos às nossas instituições, como o centro social”.

Agricultores da região convidados a criar uma rota exclusiva

É no Pavilhão da Junta de Freguesia de Ferreiros que o projecto Fruta Feia funciona, sempre à quinta-feira, entre as 17 e as 21 horas. Mal as portas se abrem, começa o frenesim. Todos querem aproveitar a oportunidade que é dada e levar para casa um bom cabaz, pequeno ou grande, de fruta e legumes, cujo aspecto pode não agradar a alguns, mas que outros desconsideram esse dado, valorizando mais o facto de estes provirem directamente do agricultor. “É realmente fantástico ver pessoas que vêm aqui de todo o lado buscar os seus cabazes e esse é, sem dúvida, o melhor sinal de que a comunidade bracarense está desperta também para os valores da sustentabilidade, importando-se, de facto, com o combate ao desperdício alimentar”.

Mariana Queirós, colaboradora do projecto Fruta Feia, indica que neste momento os produtos que constam dos cabazes são recolhidos na zona Norte, mais especificamente na rota Vila do Conde - Póvoa de Varzim, embora já incluindo alguns agricultores desta região. “O nosso grande objectivo é alargar este projecto a mais agricultores desta região à volta de Braga, de Barcelos, Amares, Vila Verde, etc, com a finalidade de criarmos também uma nova rota exclusiva nesta área, para que também os agricultores daqui tenha a possibilidade de escoar os seus produtos”.

Aos agricultores que integrarem este circuito comercial à parte, a cooperativa Fruta Feia garante pagar-lhes “o preço justo” pelos seus produtos, indicando que eles não serão prejudicados. “Convidamos desde já os agricultores a juntar-se a nós e que venham, antes de mais, visitar-nos e perceber a recolha justa e o preço justo que fazemos aos seus produtos, considerados “feios” pela cor, formato ou coloração, mas que têm qualidade e aos quais nós tentamos dar a melhor imagem”.
Mariana Queirós recordou que no início houve alguma reticência em relação ao projecto Fruta Feia, mas os bracarenses foram aderindo.

“As pessoas têm aderido cada vez mais a este projecto, tornando-se associado da cooperativa e vindo buscar semanalmente, à quinta-feira, o seu cabaz”, referiu a responsável. “Sentimos, realmente, que as pessoas que aderem a este projecto o fazem pela sua sensibilidade e pela filosofia de evitar ao máximo o desperdício alimentar na comunidade”. “Convidamos todos os bracarenses a vir conhecer-nos e a saber mais sobre a Fruta Feia através do nosso site www.frutafeia.pt, onde, quer o consumidor, quer o agricultor, pode efectuar a sua inscrição e associar-se ao projecto”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.