Correio do Minho

Braga,

- +
Município de Esposende acolhe projeto “No Poupar Está o Ganho” junto da comunidade educativa
Ricardo Martins arbitra Forjães-Porto d’Ave

Município de Esposende acolhe projeto “No Poupar Está o Ganho” junto da comunidade educativa

Utentes do Novais e Sousa convidaram bracarenses a reflectir sobre a deficiência

Município de Esposende acolhe projeto “No Poupar Está o Ganho” junto da comunidade educativa

Cávado

2019-11-10 às 21h16

Redacção Redacção

O projeto “No poupar está o ganho”, na 10.ª edição tem como objetivo essencial promover a literacia financeira junto dos alunos desde a educação pré-escolar até ao ensino secundário. Com este projeto pretende-se que os alunos aprendam a conhecer o dinheiro, a União Europeia e o Euro, adquiram noções de objetivos financeiros, prioridades e poupança, elaboração de planos de gastos, noções de orçamento, receita, despesa e endividamento, contas bancárias e meios de pagamento.

O Município de Esposende acolheu, dia 6 de novembro, no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, uma ação de formação, dirigida a professores da Comunidade Intermunicipal do Cávado (CIM Cávado), no âmbito do projeto intermunicipal “No Poupar Está o Ganho”, organizada pela Fundação Dr. António Cupertino de Miranda.
A formação teve como objetivo preparar os professores para transmitirem os principais conceitos de educação financeira, assim como o manuseamento da plataforma de e-learning de educação financeira disponibilizada para alunos e professores inscritos. Esta primeira iniciativa marca o arranque do 3.º ano de realização do projeto nas escolas participantes do 1.º ciclo do ensino básico da CIM do Cávado. Posteriormente, serão realizadas diversas atividades como visitas ao Museu do Papel Moeda, dinamização de eventos como o Dia da Poupança, Olimpíadas de Educação Financeira, Global Money Week, exposição e apresentação pública de trabalhos e um concurso final nacional.
O projeto “No poupar está o ganho”, na 10.ª edição tem como objetivo essencial promover a literacia financeira junto dos alunos desde a educação pré-escolar até ao ensino secundário.
Com este projeto pretende-se que os alunos aprendam a conhecer o dinheiro, a União Europeia e o Euro, adquiram noções de objetivos financeiros, prioridades e poupança, elaboração de planos de gastos, noções de orçamento, receita, despesa e endividamento, contas bancárias e meios de pagamento.
O Ministério da Educação reconhece a importância da educação financeira e considera que a sua concretização no quadro do sistema educativo permite aos jovens a aquisição de conhecimentos e capacidades fundamentais para as decisões que, no futuro, terão que tomar sobre as finanças pessoais, além de se gerar um efeito multiplicador de informação e de formação junto das famílias. A Educação Financeira integra, obrigatoriamente, o curriculum nacional em 2 dos 3 ciclos do ensino básico, na disciplina de Cidadania e Desenvolvimento.
“Verificamos, ao longo das edições realizadas no Município de Esposende, uma avaliação bastante positiva do projeto, desenvolvendo os alunos, não só em contexto de sala de aula, mas também com as famílias, hábitos de poupança e correta gestão do dinheiro”, sustentou a vereadora da Câmara Municipal de Esposende com o Pelouro da Educação, Angélica Cruz.
Por seu turno, Inês Abreu, administradora da Fundação Dr. António Cupertino de Miranda que vincou as mais-valias do projeto e a sua “importância na criação de uma nova geração de consumidores financeiros”.
Sónia Santos, responsável pelo Serviço de Educação da Fundação Dr. António Cupertino de Miranda apresentou a nova plataforma do projeto, as potencialidades que aloja, nomeadamente a vertente prática, com testes e jogos que validam as competências dos alunos, enquanto pela SINCLab da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto foi apresentada a avaliação do impacto das ações do projeto junto dos alunos-alvo, no âmbito do desenvolvimento de competências de literacia financeira. Pedro Pinheiro, da Faculdade de Economia do Porto, apresentou as diversas abrangências do programa, nomeadamente o Planeamento e a Gestão do Orçamento Familiar: necessidades e desejos; despesas e rendimentos; risco e incerteza; planeamento.
O projeto intermunicipal “No poupar está o ganho”, enquadra-se no Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar do Cávado (PIICIE), da Comunidade Intermunicipal do Cávado (CIM Cávado) e conta com parceiras institucionais como a Universidade do Porto (através da Faculdade de Economia - FEP.UP), a Área Metropolitana do Porto, Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares e o Banco de Portugal
Este evento teve a cooperação da Escola Profissional de Esposende e enquadra-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.