Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
“Não temos uma situação dramática na saúde”
Carvalhal lamentou ausências limitadoras

“Não temos uma situação dramática na saúde”

Confederação empresarial reuniu pela primeira vez

“Não temos uma situação dramática na saúde”

Braga

2021-06-15 às 06h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Situação epidemiológica do concelho “não é dramática” para a saúde, pelo que Ricardo Rio reivindica maior abertura para as actividades económicas.

O presidente da Câmara de Braga sustenta que as regras de controlo da pandemia em vigor, no concelho de Braga, são demasiado penalizadores da actividade económica face aquilo que são os benefícios que aportam do ponto de vista da saúde pública.
“Nós não temos hoje uma situação dramática em termos de saúde no concelho”, vincou Ricardo Rio, realçando que o facto de Braga ter vindo a registar um aumento no número de casos de Covid-19 tal “não representa uma ameaça do ponto vista da capacidade de resposta da saúde pública”.
O edil realçou que o aumento de casos não se tem traduzido no aumento de óbitos, pois há várias semanas que não se regista qualquer morte associada à Covid-19 no concelho, além de que o número de internamentos no Hospital de Braga “é reduzido e nos cuidados intensivos estarão duas ou três pessoas”.
Face a este cenário o autarca volta reivindicar a alteração da actual matriz de risco para que as regras não sejam tão apertadas do ponto de vista do funcionamento das actividades económicas.
Salvaguarda, porém, que as pessoas devem continuar a manter condutas responsáveis e respeitar as regras, porque combater a pandemia exige “um esforço colectivo”.
O autarca falava ontem, na reunião de Câmara, em resposta ao PS, que pela voz de Artur Feio questionou Rio sobre que medidas está a autarquia a planear para alavancar a retoma da economia.
O edil respondeu que nas actividades económicas a retoma é feita com a sua reabertura e com a dinamização dos hábitos da comunidade.
Especificou que a autarquia continua a apostar na promoção de Braga como destino turístico, realçando que a retoma nesse sector decorre à medida que as regras o ditam.
O PS questionou também a autarquia sobre se tem intensificado o policiamento e fiscalização junto dos locais onde decorrem aglomerações de jovens, sobretudo zona à zona de bares próxima da Universidade do Minho.
Rio referiu que a intervenção tem existido, com uma postura sobretudo pedagógica e de sensibilização, não só para os clientes como para os empresários.
O autarca explicou ainda que, na mais recente reunião com a saúde pública, foi apurado que o aumento de casos dos últimos dias se registou sobretudo devido a convívios familiares e de amigos, portanto situações dentro de portas.
Em declarações aos jornalistas, já depois do encerramento da reunião, Artur Feio avançou que o PS vai avançar com uma proposta com medidas para que o Município contribua para a retoma da economia. “Vamos apresentar uma proposta porque percebemos que a Câmara não tem nada preparado, esperando pelo que for decidido a nível nacional”, criticou o socialista.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho