Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Orçamento Plurianual da UE em debate no IPCA
Festa das Cruzes "sem condições" para se realizar

Orçamento Plurianual da UE em debate no IPCA

Vila Verde cancela festividades de Santo António

Orçamento Plurianual da UE em debate no IPCA

Ensino

2020-02-12 às 11h38

Redacção Redacção

Na próxima sexta-feira, o Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA) acolhe o debate sobre ‘O orçamento Plurianual da UE: Desafios e Oportunidades para Portugal’. Encontro conta com os eurodeputados José Manuel Fernandes e Margarida Marques.

‘O Orçamento Plurianual da UE: Desafios e Oportunidades para Portugal’ é o tema do debate promovido, na próxima sexta-feira, pelo Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA)/CIED Minho, em parceria com o Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal e o Município de Barcelos.
Em Outubro do ano passado, o Parlamento Europeu (PE) confirmou e actualizou a sua posição, relativamente ao próximo Quadro Financeiro Plurianual (QFP) – 2021-2027. A deputada ao Parlamento Europeu Margarida Marques, correlatora do PE sobre o Quadro Financeiro Plurianual (QFP), e o deputado ao Parlamento Europeu José Manuel Fernandes, correlator sobre os recursos próprios do QFP, integram a equipa de negociação do PE sobre o orçamento de longo prazo da UE, são os principais oradores deste debate.

O encontro, que começa às 18.30 horas no auditório Eng.º António Tavares, tem como objectivo dar a conhecer os desafios e oportunidades para Portugal, no âmbito do próximo Orçamento Plurianual da UE para o período de 2021-2027.
Fazem ainda parte do painel de oradores a presidente do IPCA, Maria José Fernandes; o director do Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal, Pedro Valente da Silva; e o presidente do Município de Barcelos, Miguel Costa Gomes. A moderação do debate será assegurada pelo director do jornal Correio do Minho, Paulo Monteiro.
De referir que o Quadro Financeiro Plurianual define os limites para as despesas da UE, no geral e nos diferentes domínios de actividade, por um período de sete anos. No final, o orçamento terá de ser acordado por unanimidade pelos Estados-Membros no Conselho, e aprovado pelo Parlamento Europeu para poder entrar em vigor.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho