Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Painel e escultura ‘chamam’ visitantes ao Paço de Giela
Famalicão: Campanha 'Produto que é nosso' prolongada até 23 de Agosto

Painel e escultura ‘chamam’ visitantes ao Paço de Giela

Famalicão: Campanha ‘Produto que é nosso’ prolongada até 23 de Agosto

Painel e escultura ‘chamam’  visitantes ao Paço de Giela

Alto Minho

2020-07-03 às 06h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

Recriação Histórica do Recontro de Valdevez de 1141, que se realiza anualmente no primeiro fim-de-semana de Julho no Paço da Giela, este ano é assinalada de forma “muito especial”.

História, Cultura e Terra ‘dão as mãos’ para celebrar o Recontro de Valdevez de forma “muito especial e simbólica”. Um painel de azulejos sobre a recriação histórica e uma escultura em escala natural de D. Afonso Henriques e o do seu cavalo foram as novidades apresentadas, ontem no Paço de Giela, pela Câmara Municipal de Arcos de Valdevez. “A recriação histórica é um momento de afirmação de um povo e de inteligência de dois reis que permitiram fazer caminho. Este ano não temos condições para fazer isso, mas não queríamos deixar de marcar o momento”, justificou o presidente João Manuel Esteves, defendendo a importância do “envolvimento da comunidade”.
Desde 2016 que o Município de Arcos de Valdevez realiza, no primeiro fim-de-semana de Julho, a Recriação Histórica do Recontro de Valdevez de 1141, levando ao Paço de Giela milhares de pessoas. Este ano, com as limitações provocadas pela Covid-19, o município não quis deixar passar a data em branco e criou um programa alternativo. A par da vertente digital, foi organizada uma vertente presencial, que começa amanhã e se prolonga até ao final do Verão.

Está colocada no Paço de Giela uma estrutura de dois por seis metros, que reproduz, de forma adaptada, o grande painel de azulejos sobre o Recontro de Valdevez existente na Estação de S. Bento, no Porto, realizado no início do século XX pelo artista Jorge Colaço. A partir de amanhã, os visitantes do Paço de Giela são convidados a colocarem um ‘azulejo’ de 15x15 cm sobre esse painel, criando essa noção de “reconstrução emotiva” da recriação histórica, num total de quase 500 peças que edificarão este verdadeiro ‘Pórtico do Tempo’, que ficará disponível durante todo o Verão.

Outro motivo de visita ao Paço de Giela será a escultura em escala natural de D. Afonso Henriques e do seu cavalo. Trata-se de uma escultura em poliestireno, integralmente revestida a fibra de vidro de alta resistência, realizada por um artista arcuense. “Esta é a primeira peça de um evolutivo e futuro parque de figuras e elementos relacionados com o Recontro e com o século XII”, anunciou ainda o presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, referindo que este “é um sinal da cultura e da identidade do povo”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho