Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Pais fecham escola a cadeado e só vão parar quando obras avançarem
Liga de Amigos do Hospital lança fundo solidário para a compra de equipamentos

Pais fecham escola a cadeado e só vão parar quando obras avançarem

Lar de idosos da Pousa já foi evacuado

Pais fecham escola a cadeado e só vão parar quando obras avançarem

As Nossas Escolas

2020-01-30 às 06h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

Freguesia da Pousa aguarda por obras no jardim-de-infância e EB1 já lá vão 15 anos. Ontem, pais e alunos fecharam o estabelecimento de ensino a cadeado, prometendo agora manifestarem-se na próxima Assembleia Municipal de Barcelos.

“Cansados de esperar”, pais e alunos do jardim-de-infância e da EB1 da Pousa, no concelho de Barcelos, fecharam, ontem, a cadeado o estabelecimento de ensino e manifestaram-se, exigindo obras. Próximo passo é estar presentes na Assembleia Municipal de Barcelos, marcada para o mês de Fevereiro.
Ainda não eram 8 horas e os manifestantes já estavam à porta do estabelecimento escolar com cartazes em punho. Nem a chuva os demoveu e mesmo depois da GNR ter retirado o cadeado e os portões serem abertos, a maior parte dos pais levou os filhos para casa. ‘Cansados de esperar’, ‘Amianto fora’, ‘Condições deploráveis’, ‘15 anos de cansaço’ ou ‘escola lamentável’ foram algumas das mensagens transmitidas em cartazes, sendo que muitas crianças não esqueceram das mantas, porque “precisam delas para conseguir estar dentro da sala de aula”.

O presidente da Associação de Pais, Cristiano Coelho, lembrou que a escola “aguarda há 15 anos por obras e não há meios de as obras avançarem”.
De destacar que a escola da Pousa conta com 40 crianças no jardim de infância e 80 alunos no 1.º ciclo. Funciona em dois edifícios, um com mais de 50 anos anos e o outro com cerca de 40 anos. “Parte da caixilharia é de madeira, tem imensas fissuras e passa corrente de ar, as casas-de-banho são desumanas e as crianças têm medo de lá ir”, lamentou o presidente.
Segundo Cristiano Coelho, o presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, foi na terça-feira à freguesia a Pousa garantir que as obras serão realizadas ainda no decorrer do actual mandato.

Mas os pais querem ver para crer e a manifestação foi “só o início” desta luta, deixando o presidente da Associação de Pais a garantia que vão participar na próxima Assembleia Municipal de Barcelos. “O projecto de requalificação já foi alterado três vezes e os pais já não têm mais paciência para aguardar”, disse.
Um dos pais que se manifestou ontem, Paulo Silva, confidenciou que “não há palavras para descrever o estado da escola e, por isso, já chega”, garantindo que vão “até às últimas consequências até começar as obras”.
Outro pai, Gaspar Dias, contou que a esposa já andou naquela escola que agora é frequentada pela filha e “a escola está cada vez pior”. “Os vidros partidos estão com fita cola e, por exemplo, no refeitório chove e têm que mudar as mesas para não chover em cima das crianças”, revelou o pai. De manta às costas, a filha, Carolina Dias, que frequenta o 4.º ano, confessou que tem medo de ir à casa-de-banho, que está sempre a entrar água e frio pelas janelas. “Só conseguimos estar na sala de aula de casaco e manta”, confirmou a pequena.

Investimento “avançará logo que exista disponibilidade financeira”

Em comunicado, o Município de Barcelos adianta que o presidente da autarquia, Miguel Costa Gomes, esteve reunido, anteontem, com a Associação de Pais da EB/JI da Pousa “a quem expôs os projectos de intervenção nas escolas, nomeadamente o da escola da Pousa”.
O projecto de execução de requalificação da EB1/JI da Pousa, pode ler-se no documento, “está pronto e tem um valor base de 967.086,52€, acrescido de IVA à taxa legal em vigor”, garantindo que “o investimento avançará logo que exista disponibilidade financeira por parte do município”.

Este projecto integra-se na “política de intervenção” nos edifícios escolares sob alçada do município, “sustentada financeiramente na sua quase totalidade no Orçamento Municipal”, já que o financiamento do actual quadro comunitário “é muito reduzido”.
O Município tem em curso, neste momento, “a obra de construção do Centro Escolar da Várzea, orçada em mais de 2,3 milhões de euros; está a adjudicar uma intervenção de requalificação na EB1 de Martim (freguesia vizinha da Pousa) no valor de 727 mil euros; lançou a concurso a intervenção de reabilitação da EB1 de Carapeços no valor de 634 mil euros; inaugurou recentemente a intervenção da requalificação da EB1 de Macieira de Rates, no valor de mais de 400 mil euros”, acrescenta a nota.
A câmara, conclui o comunicado, “compreende as preocupações das famílias e encarregados de educação da EB/JI da Pousa e assegura que tudo fará para ultrapassar os problemas actualmente existentes”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho