Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Património deve ser estudado, fruído e divulgado
Plantada faia: um símbolo de aprendizagem

Património deve ser estudado, fruído e divulgado

Comunidade Intermunicipal do Cávado procedeu à Instalação da Comissão Sub-Regional de Gestão Integrada de Fogos Rurais do Cávado

Património deve ser estudado, fruído e divulgado

Braga

2021-11-28 às 06h00

Redacção Redacção

Arrancou o ciclo ‘Encontros com o Património’, iniciativa que, para Ricardo Rio, demonstra que o património, além de preservado e valorizado, tem que ser “continuamente estudado, fruído e divulgado”.

Citação

Além da preservação e da valorização do património, este também tem que ser “continuamente estudado, fruído e divulgado com recurso a pessoas que têm um conhecimento extraordinário das matérias a abordar”. A afirmação é de Ricardo Rio, que falava no decorrer da primeira iniciativa do ciclo ‘Encontros com o Património’, intitulada ‘À conversa… no museu’.
O presidente da Câmara recordou ainda que o património tem um “peso incontornável” na candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura 2027 que foi recentemente entregue.

Foi no Museu D. Diogo que decorreu esta iniciativa que resulta de uma parceria entre Fundação Bracara Augusta e o Museu D. Diogo de Sousa/Direcção Regional de Cultura do Norte, com o suporte científico do professor Rui Morais, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. A conversa incidiu sobre uma das obras-primas da Colecção Bühler-Brockhaus - o magnífico busto do imperador César Augusto, generosamente doado por Hans-Peter Bühler e Marion Bühler Brockhaus.

Miguel Bandeira, presidente da Fundação Bracara Augusta, realçou que este tipo de acções pretende suscitar a investigação, a reflexão, a divulgação e o debate sobre o património cultural de Braga e as suas diversas implicações, designadamente na formação de públicos, na reabilitação urbana e no desenvolvi- mento comercial e turístico de Braga. “É importante estudar, divulgar e abrir as portas para este importante exemplo de mecenato, que beneficia todos os bracarenses de hoje e os do futuro, e que reforça Braga num patamar internacional”, disse, reforçando que, tendo em conta o seu valor universal e o amplo interesse colectivo, a preservação do património deve ser uma tarefa transversal a toda a sociedade: “O mecenato para o património possibilitará uma nova for- ma de intervenção, de responsabilização colectiva e de valorização do nosso legado e será motivo do empenho da Fundação nos próximos anos”. A próxima iniciativa é dia 16 de Dezembro.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade
Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho