Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Património vilaverdense recuperado e potenciado pela mão do município
Companhia de Teatro de Braga vai abrir Festival Internacional de Teatro de Almagro

Património vilaverdense recuperado e potenciado pela mão do município

Mário Passos: “Serei um guardião dos que mais precisam”

Património vilaverdense recuperado e potenciado pela mão do município

Cávado

2021-05-17 às 06h00

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

É com a missão de preservar e manter a continuidade das artes tradicionais como os bordados dos típicos Lenços de Namorados, que o Município de Vila Verde tem apostado na valorização patrimonial.

“Bai carta feliz, buando no bico de um passarinho. Cando bires o meu amor, dale um abraço e um beijinho!”.
(Quadra típica dos Lenços de Namorados de Vila Verde)

Os tradicionais Lenços de Namorados de Vila Verde são um património material e imaterial tipicamente minhoto que tem servido de ‘bandeira’ ao Município de Vila Verde. Desde o trabalho de recolha, à investigação e inventariação das peças, desde a década de 80 do século passado que em terras vilaverdenses se tem trabalhado em prol da preservação e manutenção deste elemento patrimonial, desde logo incentivando as novas gerações à aprendizagem dos bordados antigos, com que outrora, as mulheres do campo, ‘cantavam’ o seu amor ao enamorado, em quadras amorosas alinhavadas num lenço branco, adornado com os mais belos símbolos do amor puro, desde os corações vermelhos, à pomba branca e raminhos entrançados, demonstrando a sua paixão entregando o lenço bordado ao homem amado. O amor seria assumido e correspondido, caso o homem passasse a usar o lenço em público.

Júlia Fernandes, vereadora da Cultura e da Educação da Câmara Municipal de Vila Verde, tem sido, ao longo dos anos, uma das maiores impulsionadoras deste elemento do património vilaverdense, apostando fortemente na divulgação desta tradição e, a partir dela, promovendo a inovação com a criação de novos produtos e artigos inspirados nos tradicionais Lenços de Namorados.
O resumo deste trabalho que tem sido levado a cabo pelo Município de Vila Verde em prol da preservação desta tradição foi feito por Paulo Guimarães, do CLDS-4G Vila Verde - que tem como missão apoiar os vilaverdenses em situação de desemprego - e que, na noite do passado sábado, organizou um webi- nar sobre os Lenços de Namorados e a integração dos seus motivos e linguagem gráfica em diferentes produtos que surgiram nos últimos anos, a reboque do Concurso Internacional de de Criadores de Moda ‘Lenços de Namorados Escritas de Amor’, promovido pelo Município de Vila Verde desde 2003 e que tem servido de impulso ao surgimento de muitos pequenos negócios.

Numa conversa liderada por Júlia Fernandes com vários criadores que já participaram no concurso e que conceberam vários novos produtos inspirados nos Lenços de Namorados, a vereadora da Cultura de Vila Verde fez questão de elogiar os ‘primeiros passos’ dados em prol da preservação deste património, contando com o ‘apoio incondicional’ das bordadeiras vilaverdenses como as irmãs Conceição e Alice Pinheiro e da professora Maria do Carmo Rocha, em Aboim da Nóbrega (localidade onde maior número de exemplares foi encontrado), entre outras, cujo trabalho foi essencial no arranque da ‘Aliança Artesanal’ - local maior de exibição e ensino da arte tradicional.
Júlia Fernandes recordou que a marca ‘Namorar Portugal’ nasceu com o Concurso Internacional de Criadores de Moda e o êxito foi tal que em 2008 a marca foi registada. Dois anos depois, o evento, inspirado na tradição e raízes minhotas, foi reconhecido como ‘Evento de Interesse para o Turismo’ pela Entidade Regional de Turismo do Norte de Portugal, partilhando esse pódio com a Festa do Alvarinho de Melgaço.
A marca ‘Namorar Portugal’ não tem parado de crescer e, actualmente, conta já com 70 parceiros com negócios e na criação de produtos com os motivos dos Lenços de Namorados.

Júlia Fernandes: “Trabalho com parceiros tem levado mais longe o nome de Vila Verde”

“Os parceiros da marca ‘Namorar Portugal’ que nos acompanham e que dão continuidade e projecção à marca, tendo em comum o facto de partilharem o uso dos motivos dos Lenços de Namorados nos seus produtos, são para nós extremamente importantes porque é graças a este trabalho em rede que tem sido possível levar mais longe quer este património, quer o nome de Vila Verde por este país e pelo mundo fora”, assinalou Júlia Fernandes, vereadora da Cultura e da Educação do Município de Vila Verde, durante a moderação do webinar sobre os Lenços de Namorados de Vila Verde, organizado pelo CLDS-4G Vila Verde.
A autarca destacou a importância estratégica que tem sido o facto de os produtos dos criadores inspirados nos motivos dos Lenços de Namorados promoverem, por si só, este elemento patrimonial vilaverdense, associando a tradição a Vila Verde, que ganha também divulgação nos quatro cantos do país e do mundo, nas lojas os artigos dos criadores se vendem. “A marca ‘Namorar Portugal’ tem também uma loja online e uma loja física no Centro de Dinamização Artesanal com a Aliança Artesanal, onde as bordadeiras, no dia-a-dia e com as suas mãos maravilhosas vão mantendo vida esta tradição de Vila Verde”, frisou Júlia Fernandes.

Lenços de Namorados inspiram negócios de criadores

Inspirar potenciais empreendedores a apostar no desenvolvimento de um negócio próprio, dando como exemplo inúmeros negócios surgidos à volta da marca ‘Namorar Portugal’ de Vila Verde foi o principal objectivo do webinar dedicado os Lenços de Namorados, assim indicou o responsável pela organização do evento, Paulo Guimarães, do CLDS-4G Vila Verde. “Queremos que os exemplos de negócios inspirados na marca ‘Namorar Portugal’ inspirem outros e lhes desperte o interesse por esta tradição vilaverdense enquanto possível ideia de negócio”.
Residente em Aboim da Nóbrega, Vila Verde, Fernando Rei, prestigiado tecelão vilaverdense e criador da marca ‘Tearte’, é um dos parceiros da marca ‘Namorar Portugal’, premiado já por diversas vezes e cuja participação no Concurso Internacional de Criadores de Moda ‘Lenços de Namorados Escritas de Amor’, que venceu na 14.ª edição, lhe possibilitou o convite para participar também na criação da ‘Portugaba’ - uma luxuosa mala do criador internacional Christian Louboutin - e já há outro projecto ‘na calha’. Hoje integra a marca ‘Namorar Portugal’ com uma linha de vestuário e tem exportado grande parte dos produtos para o estrangeiro.

Conhecedor profundo da história dos Lenços de Namorados, até porque foi um dos elementos que ajudou à recolha e inventariação deste património que ajudou a certificar, sobretudo em Aboim da Nóbrega, o tecelão Fernando Rei, contou aos participantes do webinar que as artes tradicionais era um hobbie, mas também uma grande paixão que decidiu abraçar mais seriamente.
“Eu tinha este conhecimento profundo deste património que são os Lenços de Namorados e, embora ligado à formação e educação de adultos e crianças, decidi que também queria criar algo, mas através da produção de tecidos e tornei-me um empreendedor da área têxtil. É nos tecidos que produzo que incorporo os motivos dos lenços, mas quando me sento ao tear, nunca sei o que vai sair. É só nesse momento que parto para a criação”, disse o tecelão.
Outros criadores inspiraram-se também nos lenços para inovar como a designer Sílvia Abreu, criadora da marca ‘Bicho Bravo’ em colecções de cadernos, lá-pis, canetas e livros de colorir; ou como a docente Aguinalda Conduto que criou a marca ‘Art&Rosas’ e as ‘Bonecas Rositas’ feitas a partir de cabaças ou como Nancy Oliveira que introduziu o conceito em colecções de sapatos únicas de grande sucesso no mercado.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho