Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Paulo Cunha dá sangue para sensibilizar
Sector dos stands e eventos necessita de ´clarificação urgente das normas de funcionamento´

Paulo Cunha dá sangue para sensibilizar

Município de Amares atribui subsídio extraordinário à Cruz Vermelha

Paulo Cunha dá sangue para sensibilizar

Vale do Ave

2020-05-28 às 06h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

Campanha da Associação de Dadores de Sangue de Famalicão contou, ontem, com a participação do presidente da autarquia. Paulo Cunha deu o exemplo e deu sangue no Centro Hospitalar do Médio Ave, em Famalicão.

Para ajudar na reposição das reservas de sangue do Centro Hospitalar do Médio Ave de Famalicão, o presidente da autarquia, Paulo Cunha, foi ontem dar sangue, pretendendo assim sensibilizar com o seu exemplo os cidadãos para a dádiva de sangue. “Não me custou absolutamente nada, fui muito bem recebido, com profissionais muitos competentes e afáveis e no final senti-me muito realizado”, aplaudiu o presidente, demonstrando que “esta altura não é impeditiva para as dádivas de sangue”.
O presidente da câmara aproveitou a oportunidade para um agradecimento público à Associação de Dadores de Sangue e ao Centro Hospitalar do Médio Ave no trabalho que têm vindo a desenvolver na sensibilização da população para a recolha de sangue. “Este é um processo necessariamente preventivo e decisivo. Na hora da necessidade de sangue, ele não pode faltar”, apelou Paulo Cunha.

Entretanto, o presidente da administração do hospital garantiu que aquela unidade “dá todas as garantias de segurança aos seus utentes, pessoal médico e voluntários”.
António Barbosa foi mais longe: “este é um gesto muito importante para as pessoas regressarem com confiança ao hospital, para darem sangue, cujas reservas baixaram neste período”.
Também o presidente da associação de dadores de sangue assegurou que as campanhas de doação que organizam são executadas “com todas as condições de segurança”.
“O dador quando dá sangue é para ajudar ou salvar a vida a alguém. A sua saúde nunca pode ser colocada em causa e, por isso, a nossa primeira preocupação é com ele e só depois com os outros”, assegurou ainda Manuel Vilarinho.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho