Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Plano Estratégico Educativo de Esposende está em discussão pública
Fábio Martins melhor avançado do mês da I Liga

Plano Estratégico Educativo de Esposende está em discussão pública

Comissão Europeia quer viabilizar mobilidade de crianças em intercâmbios culturais

Plano Estratégico Educativo de Esposende está em discussão pública

Cávado

2019-09-23 às 09h11

Redacção Redacção

Até 30 de Outubro, os interessados podem apresentar contributos para a melhoria do Plano Estratégico Educativo Municipal. Para o Município de Esposende este documento “é fundamental”.

Decorre, até 30 de Outubro, a discussão pública do Plano Estratégico Educativo Municipal (PEEM). Os interessados podem apresentar os seus contributos para a melhoria do PEEM, através de comunicação escrita dirigida ao presidente da Câmara Municipal, para o correio electrónico ou entregues pessoalmente nas instalações da câmara municipal.
Esta consulta pública decorre da deliberação do executivo municipal, por unanimidade, de submeter a discussão pública o plano. Com este processo, pretende-se reunir os contributos para a melhoria deste documento que define as linhas planificadoras e de gestão, em matéria de educação. O PEEM é um documento que traça as linhas orientadoras que direccionam, estrategicamente, a intervenção na área da Educação, consubstanciadas em projectos e acções, com intenções concretas, levados a cabo pelos diferentes actores do território municipal.

É entendimento do executivo que o sistema educativo do município deve, cada vez mais, enfatizar e intencionalizar o trabalho em rede, num contexto de crescente autonomia das escolas e do reforço do papel dos municípios ao nível das competências de planeamento, investimento e gestão em matéria de Educação.
Devido à descentralização de competências, revela-se imperiosa a optimização do processo de governança local da Educação, onde as parcerias e a gestão eficiente dos recursos e das oportunidades do território são fundamentais.
O PEEM pretende potenciar, entre outras, as possibilidades de realização educativa das comunidades; clarificar o papel dos diferentes actores na rentabilização das potencialidades educativas e formativas e racionalizar os recursos educativos existentes, superando a fragmentação e duplicação de redes de serviços e promovendo o envolvimento cooperativo entre instituições.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.