Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Praias do Minho prontas para receber veraneantes com responsabilidade
Festas de São João: Ana Bacalhau e Daniel Pereira Cristo apadrinham candidaturas às ‘7 Maravilhas’

Praias do Minho prontas para receber veraneantes com responsabilidade

Desemprego desce no mês de Junho

Praias do Minho prontas para receber veraneantes com responsabilidade

Cávado

2020-07-01 às 09h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

ÉPOCA BALNEAR já começou e decorre até 30 de Agosto nas praias do Minho. Municípios de Esposende, Viana do Castelo e Caminha prepararam o regresso dos veraneantes às praias dos concelhos. Para além das orientações do Governo, municípios complementaram com outras acções.

A época balnear já começou, em Viana do Castelo e Esposende, no passado sábado, mas em Caminha arranca hoje. Está tudo pronto para receber os veraneantes, mas autarcas apelam à responsabilidade individual. “As praias são para ser desfrutadas para relaxar e descansar e não para serem um centro de desconfiança. Mas não se esqueçam que temos sol, areia, mar, boa comida, paisagens lindas, mas também temos o vírus, que não tira férias, que anda à espreita e não escolhe território nem idade”, apelou o presidente da Câmara Municipal de Caminha. Miguel Alves foi peremptório: “a responsabilidade maior é a responsabilidade de cada um. Desfrutem ao máximo, mas ajudem a manter as praias seguras e a fazer de Caminha um destino de confiança”.
Neste momento, o concelho de Caminha não tem nenhum caso activo, mas “isso pode mudar num instante”, alertou o autarca, destacando que nas últimas semanas o município “foi afinando algumas soluções, deixando cair umas e acrescentando outras, ten- tando aqui encontrar soluções para todos”. Miguel Alves deixa a certeza: “estamos prontos para receber as pessoas”.
Por força das circunstâncias, este ano, há “muitas novidades”. O Município de Caminha começou por criar equipas de assistentes de praias, compostas por colaboradores municipais. “Temos uma equipa em cada praia com Bandeira Azul (Moledo, Foz do Minho, Vila Praia de Âncora, Forte do Cão e na praia fluvial de Vilar de Mouros)”, informou o autarca, adiantando ainda que foram reforçados o número de casas de banho. “Não construímos novas, mas colocamos contentores que são higienizados durante o dia por equipas do município”, assegurou Miguel Alves, referindo que também foram colocados mais chuveiros.
Entretanto, foram criadas e definidas zonas, com passadeiras assinaladas, de entrada e saída da praia, para que o cruzamento entre pessoas seja o mínimo possível.
“Temos também as bandeirolas que vão assinalar a lotação da praia, um trabalho da responsabilidade dos concessionários, já que são eles que vão fazer a avaliação da lotação a cada momento”, adiantou o presidente, confirmando que foi efectuado ainda o espaçamento entre barracas em Vila Praia de Âncora e Moledo.
Assinalar ainda um “reforço positivo”, já que foram criadas equipas de vigilância para as zonas não concessionadas. “Esta é uma preocupação muito grande para nós. Temos grandes faixas de praia (da foz do rio Âncora até ao Forte do Cão e entre Moledo e Caminha) que podem albergar as pessoas que não tenham espaço nas praias concessionadas por força da lotação. Por isso, criamos equipas de vigilância com nadadores salvadores, que em conjunto com a Polícia Marítima, farão a vigilância activa nessas praias. Não vamos ter posto físico, mas vamos ter vigilância permanente, uma em Âncora e outra entre e Moledo e Caminha, e para isso já adquirimos uma moto 4 para uma equipa, sendo que a outra equipa tem a carrinha dos fuzileiros que também ajudam na vigilância do concelho”, anunciou Miguel Alves.
Os concessionários das praias também adaptaram as esplanadas. A outra novidade avançada pelo presidente da autarquia foi precisamente o apoio dados aos concessionários. “Temos consciência que há um esforço redobrado por parte dos concessionários e estamos ao lado deles para que nada falhe na assistência às pessoas, por isso, o município assegura metade dos custos dos vencimentos dos nadadores-salvadores”, confirmou Miguel Alves, acreditando que assim o município também está a “dar um sinal à economia local”.
Entretanto, a época balnear em Viana do Castelo iniciou-se, tal como definido em portaria, no passado sábado, prolongando-se também até 30 de Agosto.
“Viana do Castelo dispõe de oito sectores costeiros definidos como água balnear, organizados em 10 praias atlânticas vigiadas e cerca de 30 trechos costeiros não vigiados”, começou por explicar o vereador do pelouro do Ambiente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Ricardo Carvalhido.
O município entendeu, “atendendo ao estado favorável do tempo e à afluência esperada de visitantes à costa”, garantir a vigilância e o funcionamento dos sanitários desde o passado dia 10 de Junho, em cinco praias – Afife, Arda/Bico, Paçô, Cabedelo e Amorosa. “A partir desta data ficou também garantido o patrulhamento da totalidade dos 24 quilómetros de costa onde se contam cerca de 40 praias atlânticas, com apoio da Autoridade Marítima, e que são locais que registam sempre alguma ocupação de banhistas e prática assídua de desportos náuticos”, justificou o vereador.
A época balnear 2020 foi desenhada tendo em conta o “especial” contexto de pandemia, destacando-se o investimento de 423 mil euros por forma a garantir um dispositivo de 38 nadadores salvadores da Associação Coordenada Decimal “a operar todos os dias entre as 9 e as 19 horas, a limpeza diária dos areais por gradagem e os sanitários com pessoal de limpeza em permanência, serviços prestados pelas juntas e uniões de freguesia da costa, e que garantem as rotinas de desinfecção definidas pela Direcção Geral de Saúde e com o acompanhamento da Autoridade de Saúde do Alto Minho”, referiu ainda Ricardo Carvalhido.
A Câmara Municipal de Viana do Castelo lançou, entretanto, a aplicação praias.cm-viana-castelo.pt, que permite que o utilizador possa conhecer em detalhe as praias, mas principalmente os pontos de sinistralidade balnear (com base no histórico de ocorrências) e o sentido de circulação nos passadiços”, exemplificou.
O número de utentes na praia e o número de lugares livres no parque de estacionamento será também disponibilizado com actualização horária por parte dos Assistentes de Praia, elementos do Corpo Nacional de Escutas (CNE) com quem o município protocolou a colaboração. “Estes elementos estarão disponíveis para prestar informações e aconselhamento sanitário”, acrescentou.
Por último, destaca-se o Sistema de Monitorização Partilhada do Ambiente, desenvolvido em parceria com os Serviços Municipalizados de Viana do Castelo, e que “permite que os concessionários e utilizadores possam informar quando os recipientes de recolha de resíduos instalados nos passadiços, cerca de 200, estão próximos do enchimento”, elucidou o vereador.
Já no fim-de-semana passado foram registadas seis ocorrências com gravidade, entre elas um salvamento aquático na Praia de Afife. Na época balnear de 2019 foram efectuados 90 salvamentos.
Também no concelho de Esposende, a época balnear arrancou no passado sábado. “Estamos atentos, apoiaremos, fiscalizaremos, informaremos para que as pessoas possam viver este momento inesperado com o menor de limitações possível”, defendeu o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira.
Entre outras medidas, o município disponibiliza, anualmente, infra-estruturas de apoio em quatro praias concelhias, essenciais para o cumprimento dos critérios referentes ao galardão Bandeira Azul da Europa (Apúlia, Ofir, Suave-Mar e Cepães), e ao galardão Praia Acessível (Cepães e Apúlia).
Neste contexto, são várias as melhorias que se têm vindo a ser organizadas. “Considerando que a época balnear será, este ano, mais curta, o município estabeleceu um conjunto de apoios a atribuir aos concessionários de praia”, anunciou ainda o presidente.
A câmara assume a vigilância marítima nas zonas não concessionadas até 30 de Setembro. “Através de uma empresa externa, vamos assegurar ainda as tarefas de manutenção, limpeza e higienização das instalações sanitárias públicas ou de acesso público existentes nas praias. Em nome dos concessionários, vamos assumir o custo associado aos consumos de água das instalações sanitárias públicas e de acesso público existentes nas praias, bem como dos chuveiros e lava-pés. Vamos ainda assumir a produção e a colocação de toda a sinalização informativa e de sensibilização, suportando também os encargos do aluguer de infra-estruturas de apoio”, explicou o autarca.
Neste pacote de medidas insere-se também o apoio aos concessionários nas marcações dos circuitos de circulação nas várias zonas balneares, bem como as acções de sensibilização, em colaboração com a Esposende Ambiente e com recurso aos jovens bolseiros do ensino superior. “O município vai assegurar a manutenção de passadiços de acesso às zonas balneares, concessionadas e não concessionadas, vai criar espaços para estacionamento ordenado e em segurança e organizar acções de acompanhamento e fiscalização”, garantiu ainda Benjamim Pereira.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho