Correio do Minho

Braga, sábado

Presidente da câmara de Guimarães defende escola aberta capaz de preparar alunos para o futuro
Viana do Castelo cria rede de proximidade entre baldios

Presidente da câmara de Guimarães defende escola aberta capaz de preparar alunos para o futuro

Um tubarão chamado Dyego Sousa

Vale do Ave

2018-09-12 às 06h00

Redacção

Na abertura do ano lectivo no concelho, Domingos Bragança reforçou a importância de uma “escola aberta” que incorpore a agenda dos grandes desígnios municipais e prepare os alunos para o futuro.

Domingos Bragança garantiu ontem que a Município de Guimarães está empenhado em “proporcionar uma escola aberta, capaz de preparar os seus alunos para os desafios que se colocam à sociedade, fornecen- do-lhes as ferramentas necessárias para uma vida digna e com acesso a todos os serviços que a comunidade presta”.
O presidente da Câmara Municipal de Guimarães falava na sessão de lançamento do Ano Escolar 2018/19, que se realizou ao final da manhã de ontem, na Escola EB1/JI Senhora da Conceição, e que reuniu directores de agrupamento, professores, funcionários e encarregados de educação.
A abrir a sessão, José Pinheiro, director do Agrupamento de Escolas Fernando Távora, referiu o trabalho notável realizado na EB1/J.I Senhora da Conceição, nomeadamente na dimensão inclusiva, não deixando de evidenciar o papel fundamental da Câmara na elaboração do plano de combate ao insucesso escolar e das actividades e projectos no âmbito das competências municipais.

Por sua vez, Adelina Pinto, vice-presidente e vereadora da Educação, centrou-se na preocupação do Município de fazer chegar o conjunto de medidas apresentadas a todas as escolas do Concelho de Guimarães, fazendo do território vimaranense um território que, a partir de uma política de aprofundamento e diferenciação, olhe para a educação como o ponto de partida fundamental para a formação de cidadãos mais responsáveis, autónomos e solidários.“As crianças e a educação são uma prioridade da Câmara de Guimarães”, referiu.
Adelina Pinto deu como exemplo alguns projectos de empoderamento nas áreas do ambiente, cultura e património, bem como acções de combate ao abandono escolar ou de capacitação da comunidade escolar.
A vereadora destacou ainda a Agenda 2018-2019, uma agenda escolar e instrumento de trabalho que tem como base a História Contemporânea de Portugal, produzida pelo Núcleo 25 de Abril, que vai ser disponibilizada a todos os alunos do 4.º e 5.º ano.

A encerrar a sessão, Domingos Bragança deixou bem claro que “a inclusão dos grandes temas da agenda municipal deve ser considerada nas actividades a desenvolver pela Comunidade Escolar, sob pena de não sermos bem-sucedidos nos desígnios educacional, cultural e ambiental.
“Com estas medidas, daremos passos seguros na criação de uma consciência atenta aos assuntos basilares da existência humana e da vida em sociedade, com especial ênfase na consciência ecológica”, disse o edil.
Domingos Bragança destacou ainda a importância das condições materiais, apontando algumas das obras de requalificação em curso em diversas escolas do concelho e o investimento em Bibliotecas Escolares.
“As famílias vimaranenses prezam a oferta educativa de Guimarães, pois sabem que é exigente e de qualidade”, frisou.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.