Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Professor da UMinho coordena a ‘História da Filosofia Política’
SC Melgacense: O regresso de um histórico

Professor da UMinho coordena a ‘História da Filosofia Política’

Ponte de Lima requalifica do Campo dos Limianos

Professor da UMinho coordena  a ‘História da Filosofia Política’

Braga

2020-10-01 às 08h00

Redacção Redacção

João Cardoso Rosas, professor da Universidade do Minho, coordenou a equipa portuguesa que preparou a ‘História da Filosofia Política’ - a primeira obra do género a ser lançada.

‘História da Filosofia Política’ é a primeira obra do género preparada de raiz por uma equipa portuguesa, com a coordenação de João Cardoso Rosas, professor da Universidade do Minho. São 600 páginas para o leitor aceder com rigor às ideias políticas do Ocidente ao longo de 2500 anos, desde Platão a Hannah Arendt e que marcam a sociedade actual.
O volume possui 25 capítulos, cada um sobre a vida e obra de um pensador, ou dois, caso haja proximidade temporal e intelectual, como Maquiavel e Tomás Moro. Foi escrita por autores das universidades da Beira Interior, Católica, Lisboa, Minho, Nova, Federal do Mato Grosso do Sul (Brasil), York (Reino Unido), Autónoma de Madrid e Carlos III (Espanha). Entre eles estão João Carlos Espada, Mónica Brito Vieira ou Viriato Soromenho Marques. A capa alude à pintura ‘La Città Ideale’, possivelmente da autoria de Piero della Francesca.
A ‘viagem intelectual’ que a obra propicia inicia-se na Antiguidade, com Platão, Aristóteles e Cícero. Incorpora a visão cristã de Agostinho de Hipona e Tomás de Aquino e junta a escolástica tardia e o Renascimento de Maquiavel, Moro, Bodin e Altúsio. Explora a época moderna com Hobbes, Espinosa, Locke, Montesquieu e Hume, reflectindo depois as transformações do fim do séc. XVIII, por Rousseau, Adam Smith, Kant, federalistas americanos, Burke, Comte ou Tocqueville. Entra na contemporaneidade pelo utilitarismo de Jeremy Bentham e Stuart Mill, além da dupla Hegel e Marx. Já no séc. XX repensa o choque do totalitarismo e do holocausto, por Popper e Arendt.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho