Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Proprietários das ‘Lojas com História’ já podem pedir isenção do IMI
Guimarães acolhe reunião do Comité Externo da Estrutura de Missão 2030

Proprietários das ‘Lojas com História’ já podem pedir isenção do IMI

Património da Humanidade liga história, cultura e pessoas

Proprietários das ‘Lojas com História’ já podem pedir isenção do IMI

Braga

2019-08-21 às 07h00

Redacção Redacção

Proprietários das 44 lojas históricas da cidade que fazem parte do programa ‘Lojas com História’ já podem candidatar-se à isenção do pagamento do IMI através de um processo que está a ser promovido e agilizado pela Câmara Municipal de Braga.

A Câmara Municipal de Braga anunciou que os estabelecimentos abrangidos pelo programa ‘Lojas com História’ já se podem candidatar à isenção de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), sendo que o prazo corre até 30 de Novembro.
Para o efeito os proprietários das 44 lojas classificadas como históricas até agora, devem remeter para o email ru@cm-braga.pt os seguintes elementos: caderneta predial; dados do proprietário e do arrendatário (se aplicável): nome; morada completa; contactos (telefone e email); dados do estabelecimento: morada completa, produtos, horário de funcionamento.
O prazo para o envio das informações decorre até ao dia 30 de Novembro, de modo a permitir à Câmara receber todos os processos e encaminhá-los para a necessária tramitação por parte da administração fiscal, sem o qual os proprietários não poderão candidatar-se à referida redução da carga fiscal que afecta o seu imóvel ou fracção.
No corpo de texto do e-mail deve constar a seguinte informação: “Autorizo que os meus dados pessoais, recolhidos pelo Município de Braga, sejam remetidos à Autoridade Tributária, de acordo com o previsto na Lei nº 42/2017 de 14 de Junho e submetidos na Plataforma do Inventário Nacional – Comércio com História, incluindo consentimento de direitos de autor”.
A autarquia refere que está a decorrer também a segunda fase de classificação das ‘Lojas com História’ pelo que os estabelecimentos que cumpram o estipulado na Lei n.º 42/2017 de 14 de Junho podem submeter candidatura por email ru@cm-braga.pt com identificação da pessoa a contactar na visita técnica para análise dos requisitos de classificação.
O deferimento do pedido de reconhecimento pressupõe a verificação cumulativa de determinados tipos de factores. Assim, requisito invariável e essencial a qualquer concreta hipótese de reconhecimento é a verificação da longevidade da actividade a reconhecer, a qual deve ser desenvolvida há pelo menos 25 anos. A par da actividade (e a ela intrinsecamente ligados) também o património material e o património imaterial do estabelecimento ou da actividade devem apresentar determinadas características reveladoras do seu significado histórico e cultural ou social local.
Para Miguel Bandeira, vereador do Urbanismo do Município de Braga, “a iniciativa é determinante para a aplicação dos benefícios previstos à data e outros que possam ser aprovados. Ao mesmo tempo é um estímulo para a manutenção da actividade que é hoje reconhecidamente um factor fundamental para a coesão e atractividade das nossas cidades”.
A obtenção destes dados e autorizações também é fundamental para a inclusão das lojas classificadas no portal do Inventário Nacional Comércio com História que irá promover através da relação com a plataforma do Turismo de Portugal: Visit Portugal a divulgação das lojas reconhecidas em Braga.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.