Correio do Minho

Braga,

- +
Receita para o dragão passa por ter “esperança e ambição”
Estratégia prevê 45 milhões para melhorar habitação de 781 famílias

Receita para o dragão passa por ter “esperança e ambição”

Barcelos comemora o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Receita para o dragão passa por ter “esperança e ambição”

Desporto

2021-03-03 às 06h00

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

FC Porto e SC Braga avançam para o quarto jogo da época entre ambos. Passagem só se desenha se pontaria estiver afinada. “A nossa ambição é proporcional à dificuldade” da tarefa, assume Carvalhal.

As contas são simples de se dazer. Marcando um golo, o SC Braga não pode sofrer para assegurar presença na final da prova-raínha. Se sofrer, tem de marcar tantos ou mais golos que o FC Porto para seguir em frente.
“O resultado está 1-1. O FC Porto tem vantagem nesta altura. Temos a consciência de que vamos jogar contra uma grande equipa, com uma organização muito forte de Champions League, com um grande treinador e que é muito difícil de ser batida”, notou Carlos Carvalhal, assegurando que os actuais detentores do troféu, os portistas, também vão ter de suar no desafio de mais logo (20.15 horas).
“Do outro lado, teremos um SC Braga muito motivado, organizado e com vontade de chegar à final, sabendo que, para isso, vamos ter de fazer golos. O trabalho é difícil, mas a nossa ambição é proporcional a essa dificuldade”, frisou o técnico do SC Braga, que enumerou os aspectos positivos da sua equipa.
“A equipa tem estado bem na sua globalidade. Somos uma equipa equilibrada, positiva, que ataca bem e pratica um bom futebol Transita muito bem defensivamente e que quando tem de defender, fá-lo muito bem também. São aspectos que temos procurado melhorar dentro das limitações de tempo que (não) temos para treinar. Mas no fundo, acho que temos correspondido”, notou, acreditando, contudo, “que a equipa, treinando, pode ainda melhorar a sua dinâmica em todos os momentos do jogo”.
Confrontado com a aposta nos jovens, Carvalhal justifica-a com a sua qualidade mas, também, com as várias ausências.
“O Bruno [Rodrigues] jogou, não porque não merece, porque merece e nós temos um olhar atento para a formação, mas porque os jogadores da equipa principal estavam indisponíveis. O Vítor [Oliveira] entrou (...) pelo facto do Sporar estar com uma lombalgia. O Hernâni estava no banco e o Rodrigo Gomes tem trabalhado connosco. É a nossa realidade. O SC Braga tem feito uma campanha muito boa em todas as frentes e estamos focados e concentrados para amanhã [hoje]”, rematou.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho