Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Receitas tradicionais podem ser adaptadas a doentes com disfagia
Celorico: Banco Local de Voluntariado realizou campanha de recolha de bens alimentares

Receitas tradicionais podem ser adaptadas a doentes com disfagia

Grupo americano visita concelho

Receitas tradicionais podem ser adaptadas a doentes com disfagia

Braga

2022-03-05 às 06h00

Miguel Viana Miguel Viana

‘Chef’ Hélio Loureiro mostrou aos utentes do Hospital de Braga como adaptar receitas tradicionais aos doentes que sofrem de disfagia. Evento assinalou Dia Europeu da Terapia da Fala.

Citação

Um bacalhau com legumes feito no forno, de uma forma pastosa, um caldo verde feito da mesma forma, e uns milhos (cuscus) servidos com frango foi o menu apresentado ontem pelo ‘chef’ Hélio Loureiro na entrada principal do Hospital de Braga. O evento pretendeu assinalar o Dia Europeu da Terapia da Fala (6 de Março), que este ano tem como tema ‘Intervir ao longo da Vida’.
“Decidimos focar um bocadinho na patologia da Disfagia (dificuldade na alimentação). Pode haver alteração na forma como as pessoas comem e isso pode prejudicar a segurança na alimentação e pode ter impacto na saúde do doente”, disse Maria João Vieira, terapeuta da fala do Hospital de Braga. Nesse sentido, as receitas do ‘chef’ Hélio Loureiro asseguram que a alimentação dos portadores de Disfagia “é segura e prazerosa”, acrescentou Maria João Vieira.

A terapeuta da fala chamou a atenção para a necessidade de se ter “uma alimentação correcta e que haja uma consciência da população para os riscos que uma alimentação representa. Muitas vezes ela não é segura e temos que consciencializar para isso. Mesmo nos doentes identificados temos de saber quais os melhores comportamentos e as melhores posturas, porque comer também é um prazer”, afirmou Maria João Vieira.
A terapeuta da fala alertou que a dificuldade em comer pode levar ao isolamento, e à falta de nutrição dos doentes.
A nutricionista Ana Maria Carneiro frisou que cada receita pode ser adaptada “ao grau de disfagia do doente e satisfazer as necessidades nutricionais e energéticas.” Ana Maria Carneiro alertou para o facto da Disfagia estar associada, em muitos casos, à desnutrição e à perda de massa muscular.
O ‘chef’ Hélio Loureiro assegurou que está habituado a trabalhar as receitas do ponto de vista nutricional.

“Eu tenho feito um trabalho há muitos anos dedicado a esta área da nutrição, para que haja um conhecimento melhor e maior sobre a importância nutricional dos alimentos, sobre a forma como nos devemos alimentar melhor”, explicou o Hélio Loureiro.
Até mesmo os pratos tradicionais portugueses podem ser adaptados ao gosto dos portadores de Disfagia.
“Tudo é passível de ser adaptado mantendo o mesmo sabor. A grande dificuldade é como manter esses sabores, de uma forma atractiva e correcta. Há coisas simples de fazer, por exemplo, com gemas, açúcar e um pouco de Vinho do Porto, batido em ‘banho Maria’. Fica como uma gemada cremosa com sabor idêntico ao Pão de Ló de Ovar. São coisas simples que agradam a todos e sem termos de fazer comidas diferentes para várias pessoas. Tendo criatividade, consegue-se fazer coisas boas”, explicou o ‘chef’ Hélio Loureiro.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho