Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Requalificação da escola “é competência do Governo”
Guerreiros do Minho apontam baterias a deslocação à madeira

Requalificação da escola “é competência do Governo”

Carvalhal lamentou ausências limitadoras

Requalificação da escola “é competência do Governo”

Braga

2021-06-15 às 06h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Ricardo Rio desafiou vereador do PS a questionar o Governo sobre a razão pela qual não considera prioritária a requalificação da EB 2,3 Frei Caetano Brandão. A Câmara apenas tem responsabilidade na manutenção.

O presidente da Câmara de Braga esclareceu ontem que requalificação da Escola EB 2,3 Frei Caetano Brandão, em Maximinos, é uma competência do Ministério da Educação e não da autarquia.
Ricardo Rio respondia assim ao vereador socialista Artur Feio que questionou a autarquia sobre “o nível de degradação muito elevado” que os socialistas testemunharam numa visita à escola, comprovando denúncias e reivindicações que tem vindo a ser efectuadas pela Associação de Pais. “É difícil perceber porque é que uma escola daquelas, com um projecto educativo interessante, sendo de referência para alunos invisuais, não tem uma intervenção prevista”, lamentou Artur Feio.
O socialista referiu que a situação se torna mais injusta, numa altura em que a Câmara anuncia um “plano Marshall para a educação no concelho”, mas não contempla qualquer intervenção nesta escola onde, afirmou, “foram gastos apenas cinco mil euros pela Câmara no último ano”.
Na resposta, Ricardo Rio esclareceu que a Câmara apenas tem responsabilidade em termos de manutenção, cabendo ao Ministério da Educação assegurar as intervenções estruturais.
Rio garantiu que a autarquia já estabeleceu vários contactos com a DGEST no sentido de aferir quais as intervenções que podiam constar de um projecto de requalificação profunda, mas sem resultados até momento.
“Pergunte ao Governo, que é do seu partido, por que é que votou esta escola ao abandono, por que é que esta escola não é prioridade para o Ministério da Educação”, desafiou Rio, dirigindo-se a Artur Feio, lembrando que foi o Governo socialista que não considerou esta escola como uma das prioritárias para intervenção.
Na resposta, o socialista disse ao edil que devia aproveitar as vindas de António Costa e de outros membros do Governo a Braga para lhe apresentar esta e outras reivindicações, em vez de se limitar a “fazer pose” para a fotografia.
Já Bárbara Barros, da CDU, deixou um apelo ao Governo para que integre esta escola na listas de estabelecimentos prioritários para intervenção.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho