Correio do Minho

Braga, terça-feira

Resposta social pioneira na região ajuda doentes com Alzheimer e demências
ABC/UMinho precisa de vencer todos os jogos

Resposta social pioneira na região ajuda doentes com Alzheimer e demências

Bom Jesus é “ex-libris e pilar” do turismo religioso do Norte

Cávado

2019-01-13 às 06h00

Isabel Vilhena

Utentes com Alzheimer e outras demências vão ter, a partir do próximo ano, uma resposta pioneira e inovadora no acolhimento e tratamento destas doenças. Trata-se da Casa da Alegria que vai nascer em Lanhas, Vila Verde.

‘Casa da Alegria’ assim se chama o novo projecto que vai nascer na freguesia de Lanhas, em Vila Verde, a pensar nos doentes com Alzheimer e outras demências
Num investimento de 1 milhão e 800 mil euros totalmente suportados pelo Centro Social Vale do Homem que decidiu apostar num projecto inovador, dada a sua área de intervenção e público-alvo, não só no concelho de Vila Verde, como no distrito. “Trata-se de inovação social. Pretende-se criar uma resposta diferenciada e integrada, através de uma abordagem multidisciplinar e simultaneamente personalizada, de acordo com a realidade pessoal, familiar, social, psicológica e situacional de cada utente”, explicou ontem Jorge Pereira, o presidente da direcção do Centro Social Vale do Homem (CSVH), entidade promotora, no lançamento da primeira pedra da Casa da Alegria, cuja obra deverá estar concluída dentro de um ano.

Jorge Pereira destaca que este é um caso único na região por se tratar de um edifício criado de raiz para pessoas que sofrem de Alzheimer ou outras demências.
O presidente da direcção do Centro Social Vale do Homem explica que este “projecto pioneiro” foi inspirado em vários modelos aplicados em Espanha e em Portugal. Vistamos tudo o que há de melhor se faz na área das demências. Com este conhecimento que adquirimos e com a experiência que o Centro Social do Vale do Homem começa a ter foi projectado este edifício pensado para uma resposta social que não existe que é acolher utentes em lar e em centro dia com diferentes demências.”

Para além da valência de lar, que vai albergar 31 utentes e outros 19 em regime de centro de dia, Jorge Pereira explica que terá “quartos sensoriais que trabalham os sentidos e um jardim terapêutico com 1.500 metros quadrados para atenuar ou regredir a doença, mas pelo menos estagná-la de uma forma natural e não com fármacos que é um gaho para a qualidade de vida e saúde dos utentes.”
Aqui os utentes podem trabalhar os sentidos ao tocar nas superfícies das folhas, ao cheirar as flores, ao ouvir a água a cair. Tudo isso serve como terapia e é uma das melhores para quem tem demências”, explicou Jorge Pereira, acrescentando que haverá ainda salas multisensoriais de musicoterapia, dançoterapia, banhos geriátricos com hidromassagem que são necessárias para que se possa fazer um bom trabalho com utentes para este tipo de doença.

O presidente da Câmara de Vila Verde, António Vilela, destaca a aposta forte que o concelho tem vindo a fazer a nível de equipamentos e, neste caso particular da ‘Casa da Alegria’ “esta é uma valência inexistente na região. A demência está a aumentar e Centro Social Vale do Homem está a fazer um trabalho excelente na área de apoio à terceira idade e agora com a construção desta valência que vem colmatar essa grande dificuldade de tratar demências.”
A primeira pedra deste novo equipamento foi lançada ontem e contou com a presença do Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga e dos presidentes de câmara de Vila Verde, Terras de Bouro, Manuel Tibo, e da vereadora de Amares, Cidália Abreu.

Deixa o teu comentário

Últimas Cávado

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.