Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Sá de Miranda foi palco da residência artística 'O Primo Basílio'
Esposende celebra Dia Internacional da Juventude com sustentabilidade ambiental

Sá de Miranda foi palco da residência artística 'O Primo Basílio'

CeNTI oferece viseiras a instituições sociais para proteção individual

Sá de Miranda foi palco da residência artística 'O Primo Basílio'

Braga

2020-01-13 às 18h12

Redacção Redacção

A residência foi desenvolvida em duas escolas do agrupamento – Palmeira e Sá de Miranda – envolvendo uma turma de 8.º ano e outra de 10.º ano, constituiu-se como um programa de ação prática em que os bailarinos desenvolveram em ambiente escolar e em estreita parceria com os professores um trabalho contínuo de exploração do movimento coreografado.

O Agrupamento de Escolas Sá de Miranda foi palco da primeira residência artística de dança em contexto escolar.
O Agrupamento de Escolas Sá de Miranda acolheu, de 6 a 10 de Janeiro, a primeira residência artística de dança, da responsabilidade da companhia ‘Dança em Diálogos’, que consistiu num programa em que os bailarinos – Fernando Duarte e Solange Melo – desenvolveram, durante uma semana, um trabalho contínuo de exploração do movimento e sua contextualização, adaptação e ligação ao romance ‘O Primo Basílio’ de Eça de Queirós.
Esta residência artística, projeto promovido pela Dança em Diálogos e o Município de Braga, surgiu na sequência do espetáculo O Primo Basílio, uma adaptação para bailado da obra de Eça de Queirós pelo coreógrafo Fernando Duarte, que foi apresentado no Theatro Circo pela mesma companhia de bailado, no dia 11 de Janeiro, pelas 21h30. Esta obra notável de Eça de Queirós, é pela primeira vez desenhada em dança e sustentada pela música de compositores portugueses, oferecendo o palco ao enredo do romance homónimo, originalmente publicado há 140 anos, numa adaptação totalmente inédita em Portugal. A sobrevida das fascinantes personagens criadas pelo escritor, assim como o seu inconfundível estilo, são o ponto de partida para uma sessão de dança intensa, dramática e transversalmente cativante, reafirmando o lugar distinto da dança no espaço do storytelling performativo.  
A residência foi desenvolvida em duas escolas do agrupamento – Palmeira e Sá de Miranda – envolvendo uma turma de 8.º ano e outra de 10.º ano, constituiu-se como um programa de ação prática em que os bailarinos desenvolveram em ambiente escolar e em estreita parceria com os professores um trabalho contínuo de exploração do movimento coreografado. Aos alunos foi proposto um encontro com o seu próprio corpo, tomando-o como campo de arquitetura humana dinâmica e dançante, assim como espaço de narração diversificado.
A semana terminou com uma apresentação do trabalho desenvolvido à comunidade, lotando o teatro da escola Sá de Miranda.
Esta apresentação foi o culminar de uma semana de trabalho que envolveu professores, alunos e a organização mostrando o poder formativo das artes.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho