Correio do Minho

Braga, quarta-feira

SAD do SC Braga aprova contas de 2017/2018
“Vale de Lamaçães é zona de fragilidade que pode agravar-se com a dinâmica climática”

SAD do SC Braga aprova contas de 2017/2018

Transmissão das Assembleias Municipais vai generalizar-se

Desporto

2018-10-22 às 22h43

Redacção

Accionistas aprovaram, por maioria, o relatório e contas da última temporada, que apresentou resultado negativo de 1,83 milhões de euros.

Os accionistas da SAD do Sporting Clube de Braga aprovaram hoje, em assembleia geral (AG) e por maioria, o relatório e contas da época 2017/1018, que apresentou um resultado líquido negativo de 1,83 milhões de euros (ME).
Com 99,99 por cento dos votos favoráveis e sem qualquer voto contra, os accionistas aprovaram o exercício da temporada passada, que viu ainda o passivo aumentar 11 ME (32,4 por cento), de 33,5 ME para 44,5 ME.
Segundo uma nota do site oficial dos minhotos, foram ainda aprovadas com um voto de louvor por 99,99 por cento e sem qualquer voto contra a apreciação geral da administração e fiscalização da sociedade e, por unanimidade, a proposta de aplicação de resultados e a proposta de orçamento para o exercício 2018/2019. Esta última prevê o regresso a números positivos, com um resultado líquido de 5,47 ME, “que, a concretizar-se, será o melhor da história da sociedade”.

Refira-se que, em idêntica AG da SAD da época passada, foi previsto um resultado líquido positivo de 7,1 milhões de euros, o que não veio a se verificar (negativo de 1,83 ME).
Foi ainda apresentada, pela Deloitte & Associados, a auditoria externa relativa aos exercícios findos em 30 de Junho de 2016, 30 de junho de 2017 e 30 de junho de 2018.
“A Deloitte informou que não foi detectada qualquer irregularidade, pelo que as conclusões dos auditores são idênticas às já formuladas pelo revisor oficial de contas da SC Braga SAD nos exercícios em questão, não havendo matéria relevante a reportar”, pode ler-se.
A auditoria externa foi acompanhada pelo Conselho Geral do Sporting Clube de Braga, órgão consultivo e independente da direcção, que nomeou uma comissão de três elementos para seguir o processo em permanência, frisa a nota.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.