Correio do Minho

Braga, sábado

- +
SC Braga: Sonhar com vertigem controlada
Demonstração de meios da Proteção Civil municipal leva centenas ao Campo d’Agonia

SC Braga: Sonhar com vertigem controlada

Acção cível por morte de alunos esmagados vai ser à porta fechada

SC Braga: Sonhar com vertigem controlada

Desporto

2024-02-22 às 06h00

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

SC Braga no Azerbaijão à procura de reverter situação delicada da eliminatória. Imperioso recuperar poderio ofensivo e trancar as portas lá atrás. Mudanças em perspectiva no onze de Artur Jorge, Gurbanov deve apostar na continuidade.

Citação

O SC Braga joga esta tarde, no Azerbaijão, a partir das 17.45 horas, o seu futuro na Liga Europa. O contexto não é fácil para a equipa de Artur Jorge, que há uma semana, em casa, pode ter comprometido as aspirações internacionais, com uma pesada derrota sofrida diante do Qarabag, por 2-4.
É, por isso, imperioso dar esta tarde uma outra imagem, mais aproximada do real valor da equipa, que tem estado longe do melhor nível já exibido esta temporada.
Para seguir em frente, o SC Braga terá, no mínimo, de marcar três golos, algo que neste ano civil de 2024, em onze partidas, ainda não conseguiu. De resto, fora de portas, em eliminatórias europeias, só por uma vez o SC Braga conseguiu marcar três ou mais golos, num exemplo até bem recente, já na presente época, quando venceu por 4-1 na Sérvia, o Backa Topola.
Necessitado de produção ofensiva no nível máximo, Artur Jorge deve apostar no mesmo trio no miolo, prescindindo de um médio de maior equilíbrio, com o Vítor Carvalho, para apostar num elemento de maior capacidade na ligação ao ataque, como Pizzi, assim como Zalazar, que deve actuar em sintonia com João Moutinho no onze.
Na frente, dada a excelente resposta dada nos minutos finais da primeira mão [ganhou o penálti que, convertido por João Moutinho, abre uma janela de oportunidade] e também no desafio com o Farense, Roger deve manter a titularidade, sendo que Álvaro Djaló pode recuperar também um lugar no onze, em detrimento de Abel Ruiz, num plano inferior de evidência em comparação com Banza, que regressou com faro apurado para o golo, marcando a Qarabag e Farense.
Se lá à frente importa ter acerto, atrás a competência terá de ser igualmente grande, nesse que tem sido dos maiores pecados da equipa arsenalista, que nos últimos dez jogos só não sofreu golos em dois (num plano global, esta temporada o SC Braga só não sofreu golos em cinco dos 40 jogos até agora).
Do lado dos azeris, o técnico Gurban Gurbanov terá ficado extremamente satisfeito com a resposta, até surpreendente, que os seus jogadores deram na primeira mão, pelo que deverá manter o mesmo alinhamento.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho