Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Subida ao Monte de Santa Engrácia em Gême: “Os 700 metros da minha vida!”
“Braga é um exemplo na criação de emprego”

Subida ao Monte de Santa Engrácia em Gême: “Os 700 metros da minha vida!”

Natas de vinho do Porto é a iguaria inovadora servida na Pastelaria Soares

Desporto

2018-09-24 às 22h11

Redacção

O programa foi mais amplo com as aulas de zumba e de cycling que, desde logo, despertaram a atenção e o interesse de várias pessoas e nem o calor abrasador demoveu a vontade dos participantes.

A freguesia de Gême trouxe este ano uma das novidades da Rota. A prova de bicicletas ‘Subida ao Monte de Santa Engrácia’ decorreu durante a manhã de domingo (23 de setembro) e contou com a participação de mais de sessenta atletas de diversas idades. Inserida na diversificada programação da Rota das Colheitas, a iniciativa desportiva desafiou os desportistas a percorrer 700 metros em forma contra- relógio, com inclinações que variavam entre os 16 e os 20%. Os atletas saíram aos pares e enfrentaram destemidamente a inclinação acentuada do percurso, que pedia mais capacidade de explosão do que propriamente resistência. A competição disputou-se em duas mangas, com a segunda reservada às dezasseis melhores prestações na primeira prova. Um desafio que testou a dureza dos participantes, como confessou Tomás Silva: “São os 700 metros da minha vida, vai-se mesmo ao limite”.

A promoção da prática de desporto era um dos grandes objetivos do evento e não ficou por aqui. O programa foi mais amplo com as aulas de zumba e de cycling que, desde logo, despertaram a atenção e o interesse de várias pessoas e nem o calor abrasador demoveu a vontade dos participantes. Os mais pequenos também não ficaram por casa, passando horas a brincar alegremente dentro dos insufláveis. Com a intenção de tornar o ambiente mais acolhedor e animado, o Monte de Santa Engrácia foi palco de muita música durante toda manhã. A atividade tinha, essencialmente, como meta três aspetos bem definidos que, segundo a organização, foram cumpridos com grande entusiasmo. Nesse sentido, a aliança entre a Junta de Freguesia e o Grupo de Jovens procuraram conhecer e premiar os participantes com os melhores resultados, promover e divulgar a beleza natural do monte de Santa Engrácia e, como não podia deixar de ser, criar um ambiente matinal com uma forte prática de exercício físico.

Foi difícil, mas “para o ano estou de volta”

Ainda não eram 9h da manhã e já muitos participantes estavam concentrados no Lugar do Casal. Equipados a rigor, foram vários atletas que aqueceram os músculos pelos caminhos da freguesia. Já outros, estavam mais interessados em estar em convívio ao sabor das barrinhas energéticas ou dos mirtilos biológicos. No entanto, era notável como todos estavam cheios de vontade de serem os primeiros aventureiros a pedalar até ao cimo do monte. À medida que os participantes chegavam junto à capela, a população local apoiava com fortes aplausos.

Fã de bicicleta, Tomás Silva foi o atleta mais novo (16 anos) a entrar na competição. Ainda ofegante, o jovem rapaz assumiu que é uma “experiência dura, muito dura!”. Considera que é uma prova com um estilo bastante diferente das que costumam haver naquela zona e que por isso se revela “uma iniciativa original. Posso mesmo dizer que estes são os 700 metros da minha vida. Vai-se mesmo ao limite”. A única mulher inscrita, Patrícia Correia, mostrou-se verdadeiramente feliz por estar ali e diz que aquilo que viveu foi muito bom: “Foi desafiante estar aqui no meio destes homens todos fortes. Mas, calma, que eu para o ano estou de volta”.

Paulo Gonçalves: “Um evento com perspetivas maiores”

Paulo Gonçalves, membro da organização, faz um balanço extremamente positivo do evento. “Basta olhar para as pessoas que estão aqui à nossa volta”, em ambiente de alegria e confraternização. No seu entender, os objetivos principais foram cumpridos, no entanto, diz que ainda há algumas arestas a limar: “Hoje estamos a ter as chamadas dores de crescimento, há sempre coisas que falham, há sempre coisas a melhorar, para o ano de certeza que vamos estar muito melhores”. Adianta também que um dos aspetos que é necessário trabalhar mais diz respeito à adesão do sexo feminino. “Nós criámos as duas categorias, mas já sabíamos que era difícil as mulheres participarem. É uma prova bastante exigente, sim. Mas isso não quer dizer que as mulheres não consigam subir, nada disso, até porque temos aí uma atleta feminina que foi uma guerreira. Para o ano temos que arranjar soluções para elas mostrarem o que valem!”, diz Paulo Gonçalves. Além da prova de bicicletas, proporcionou-se um cenário de enorme confraternização. “Criámos uma envolvência entre pessoas dando a conhecer esta zona que é muito bonita. Sei que há muitas pessoas mesmo sendo de Vila Verde não conhecem este sítio e nós queremos mudar isso”, sublinha o elemento da Junta de Freguesia.
A continuidade do projeto já está decidida e já há planos para a próxima edição. “Vamos continuar nesta maré e a próxima edição estamos a pensar em incluir caminhada também para chamar outro tipo de pessoas”, remata Paulo Gonçalves. A beleza natural do espaço é algo que a Junta pretende aproveitar e vem aí ‘algo maior’: “O que aconteceu aqui foi um evento com perspetivas maiores. Estamos a pensar em fazer deste recinto um parque de desporto inserido na natureza”. A prova de bicicleta ‘Subida ao Monte de Santa Engrácia” aconteceu pela primeira vez na história da freguesia de Gême e, ao mesmo tempo, Na Rota das Colheitas. A organização foi levada a cabo pela Junta de Freguesia e pelo Grupos de Jovens (UPA).

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.