Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
‘Tardes Gulosas’ resistem e inovam no sector da pastelaria
“É um clube ecléctico, de sucesso nacional e reconhecido em termos europeus e mundiais”

‘Tardes Gulosas’ resistem e inovam no sector da pastelaria

“Tristeza” marca Centenário

‘Tardes Gulosas’ resistem e inovam no sector da pastelaria

Braga

2020-12-05 às 07h00

Isabel Vilhena Isabel Vilhena

Apesar da diminuição do volume de negócios, a iniciativa ‘Tardes Gulosas’ , promovida pela Associação Comercial de Braga, mostra o lado resiliente e inovador do sector da pastelaria bracarense.

Num ano atípico, a iniciativa ‘Tardes Gulosas’ voltou a mostrar o melhor que faz no mundo da pastelaria e, apesar da diminuição no volume de negócios em relação ao ano anterior, Rui Marques, director da Associação Comercial de Braga (ACB), faz um balanço “positivo” da iniciativa.
“Nesta iniciativa das ‘Tardes Gulosas’ o mais importante é activar negócio e atrair novos clientes. Este ano conseguiu-se menos, comparativamente, com outros anos, decorrente da situação pandémica que vivemos, mas o feedback na generalidade das empresas é positivo. Os empresários ficaram satisfeitos com os resultados e, em alguns casos, esgotaram as produções que foram feitas no âmbito desta acção”, disse ontem Rui Marques na cerimónia de entrega de prémios das ‘Tardes Gulosas’ que decorreu na sede da Associação Comercial de Braga.
Para o director da ACB, “os empresários perceberam que este era um ano, sobretudo, de persistir, de continuar a comunicar e mostrar novidade”.
À pergunta sobre as vendas de Natal e as medidas restritivas, Rui Marques afirma que “o mercado está de tal forma retraído e há um discurso tão dramatizado do governo que faz com que as pessoas fiquem em casa”.
O director da ACB reconhece que “este ano vai ser muito difícil estimular as vendas e cabe às próprias empresas com a sua criatividade e capacidade de introduzir novidades salvar as vendas deste Natal que são muito importantes para a sustentabilidade do ano inteiro que, em muitos casos, representam 30 por cento da facturação do ano”.
Apesar deste cenário, Rui Marques “acredita que Braga vai ter um desempenho melhor do que a generalidade das zonas comerciais do resto do país. Braga tem condições únicas do ponto de vista da sua oferta comercial”, revelando que a ACB está a preparar um conjunto de acções para estimular os consumidores a comprar no comércio local.
Também o vereador do Turismo, Altino Bessa, dá nota da “resistência do comércio de Braga. O decréscimo dos negócios é acentuado, mas é menos acentuado do que na maior parte do país. Todo este tecido económico dos restaurantes, da pastelaria, dos cafés e do comércio de rua tem sabido resistir porque tem havido uma procura um pouco melhor do que no resto do país. Isso dá-nos uma esperança de que o nosso tecido vai resistir este ano que está a ser muito difícil para poder receber 2021”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho