Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Teologia deve dialogar com cultura contemporânea
Município de Fafe equipa escolas com Salas de Aula do Futuro

Teologia deve dialogar com cultura contemporânea

Câmara apoia em 60 mil euros Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez

Teologia deve dialogar com cultura contemporânea

Ensino

2018-11-04 às 14h33

José Paulo Silva José Paulo Silva

Faculdade de Teologia completa 50 anos de existência. Dirigentes da Universidade Católica Portuguesa e arcebispo primaz de Braga apontaram o rumo futuro da instituição.

O diálogo da Faculdade de Teologia com a cultura contemporânea “é fundamental”, defendeu ontem o Arcebispo Primaz de Braga, D.?Jorge Ortiga, na sessão solene comemorativa do 50.º aniversário deste estabelecimento da Universidade Católica Portuguesa.
O prelado destacou o papel que a Faculdade de Teologia deve desempenhar para se “encontrar um modelo de transmissão de fé adequado às novas exigências” de um tempo em que não basta aos fiéis católicos “decorar a doutrina”.

Na sessão solene, no Campus da Rua de Camões do Centro Regional de Braga da UCP, que antecedeu uma missa comemorativa, na Sé Catedral, o arcebispo considerou que “o balanço positivo” dos 50 anos da Faculdade de Teologia “não pode tranquilizar-nos para os próximos desafios”.
Antes da sessão solene, em declarações à Agência Ecclesia, D. Jorge Ortiga, garantiu que a Faculdade de Teologia “atingiu a sua maturidade numa linha de reflexão séria sobre a fé”.

O arcebispo de Braga entende que “é bom” que esta instituição, de ensino, fundada a 4 de Novembro de 1968, não seja frequentada apenas por seminaristas, religiosos ou religiosas mas igualmente por “muitos leigos”, porque “Portugal, mais do que nunca, precisa de um laicado com capacidade de estar nas diversas instâncias da vida portuguesa e colocar esta semente do Evangelho”.
D.?Jorge Ortiga relevou que “estamos num mundo multirreligioso” e que, por isso, “ é necessário que a Igreja se situe num mundo de dialogar com a sociedade em todas as vertentes e aspectos”, sendo que “há muitos não-crentes que no seu interior, no seu íntimo, sentem a necessidade de poder ouvir ou querer ouvir o que a Igreja pensa e poderá propor”.

Mais investigação e mais redes internacionais

O reforço da investigação e da internacionalização são os desafios presentes da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa (UCP), defendeu ontem a directora interina Ana Maria Jorge.
Na sessão solene comemorativa do 50.º aniversário da única Faculdade de Teologia portuguesa, aquela responsável reconheceu os escassos recursos humanos e infraestruturais que a mesma apresenta, mas afirmou que essas “limitações” não podem ser “muros” que impeçam “uma oferta formativa cada vez mais criativa”.

Já o vice-reitor da UCP, José Manuel Pereira de Almeida, destacou a “dimensão familiar” da Faculdade de Teologia como uma mais-valia face ao “anonimato” que existe em muitos outros estabelecimentos de ensino.
Na sessão solene, João Manuel Duque, professor catedrático de Teologia, defendeu ‘A Teologia como hermenêutica de fronteira’, numa comunicação onde sustentou que os Estudos de Religiões é “um território” onde a mesma se vai encontrar com outras epistemologias num “desafio de interdisciplinaridade”. Segundo Duque, é “promissor o campo de trabalho da Teologia no futuro próximo”, cada vez mais em redes de investigação.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.