Correio do Minho

Braga,

- +
Três escolas do concelho vão integrar a Rede de Bibliotecas até 2020
Dia Internacional do Desporto Universitário em Azurém

Três escolas do concelho vão integrar a Rede de Bibliotecas até 2020

Póvoa de Lanhoso promove Sorteio de Natal para dinamizar comércio

Três escolas do concelho vão integrar a Rede de Bibliotecas até 2020

As Nossas Escolas

2019-03-13 às 06h00

Paula Maia Paula Maia

Os Centros Escolares de S. Lázaro e Esporões e a EB 1 de Nogueira vão integrar a Rede de Bibliotecas de Braga que conta já com 36 bibliotecas. É ao nível 1.º ciclo que a rede se apresenta ainda incompleta, devido à falta de espaços físicos.

Os Centros Escolares de S. Lázaro, Esporões e a EB1 de Nogueira vão integrar a Rede de Bibliotecas de Braga até ao próximo ano. A notícia foi avançada ontem pela coordenadora interconcelhia da Rede de Bibliotecas Escolares, Regina Campos, na Marcha da Leitura ‘Braga ALer’+ que juntou perto de mil alunos dos Agrupamentos de Escolas da Rede de Bibliotecas de Braga.
Formada em 2012, a rede integra actualmente 36 bibliotecas, sendo que ao nível do 2.º, 3.º e ensino secundário a cobertura é total.

Regina Campos, explica que a cobertura no ensino básico ainda não está completa porque há escolas que além de não reunir o número de alunos necessários, não têm um espaço físico para acolher uma biblioteca.
Recorde-se que para obter financiamento necessário para a instalação da biblioteca - financiada pela tutela, a Rede Nacional Bibliotecas Escolares - uma escola tem de ter, pelo menos, duzentos alunos, sendo que a autarquia e a rede nacional tem apoiado as escolas que apesar de não ter este número de aluno sem condições físicas para acolher uma biblioteca. Foi o que aconteceu em 2018, no?Centro Escolar de Merelim S. Pedro que sofreu profundas obras de requalificação.

A vereadora da Educação da câmara de Braga avançou que uma das maiores preocupações da autarquia sempre que se efectue uma requalificação ou se opte por uma construção de raiz é integrar um espaço destinado à instalação de uma biblioteca. “Entendemos que é um dos espaços mais importantes que uma escola tem. É um centro nevrálgico muito importante”, apontou Lídia Dias, avançando que todos os estabelecimentos de ensino que estão a ser alvo de requalificações vão albergar uma bibliotecas com todas as condições necessárias.

Lídia Dias argumenta também que mesmo as escolas que não têm um espaço com todas as características de uma biblioteca “os agrupamentos tentam criar uma valência mais ou menos aproximada”.
A Marcha da Leitura ‘Braga ALer’ que ontem levou perto de mil alunos ao centro da cidade para declamar poesia é uma das várias iniciativas inseridas na Semana da Leitura da Rede de Bibliotecas de Braga que decorre até sábado.
“O que é importante é chamar a atenção para a importância de ler mais. Ler mais na escola, mas também em comunidade. Este é o desafio que aqui é feito”, afirma a vereadora da Educação.
Aida Alves, directora da Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, uma das parceiras da rede, diz que esta Marcha da Leitura reúne os esforços de toda a rede. “Alunos e professores foram convocados a fazer uma selecção de textos, sobretudo de Sophia de Mello Breyner, para declamar”, diz.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.