Correio do Minho

Braga,

- +
UM prepara novo congresso “Estrutruras e Arquitectura”
Domingos Bragança no lançamento da obra de ampliação das instalações da APCG

UM prepara novo congresso “Estrutruras e Arquitectura”

BE denunciou mau estado do Estádio 1.º de Maio

Ensino

2010-07-25 às 06h00

Rui Serapicos Rui Serapicos

Em 2013, Guimarães acolhe o Segundo Congresso Internacional sobre Estruturas e Arquitectura. É consequência do êxito alcançado, há dias, na primeira edição.

O êxito alcançado com a primeira edição do Congresso Internacional sobre Estruturas e Arquitectura, que decorreu de 21 a 23 de Julho, levou a Escola de Arquitectura ds Universidade do Minho a decidir já a realização da segunda edição e com data agendada para os dias 24 a 26 de Julho de 2013.

Paulo Cruz, o docente da Escola de Arquitectura responsável pela organização, disse ao Correio do Minho que a data escolhida para a próxima edição, assim como a da primeira, tem a ver com a conveniência temporal de disponibilidade dos participantes, designadamente docentes e investigadores provenientes de países como os Estados Unidos da América ou do Norte da Europa. Outro motivo é a coincidência com eventos festivos da cidade de Guimarães, proporcionando aos congressistas momentos mais interessantes de vivência com a cultura local.

Mais de 250 comunicações

Em jeito de balanço à primeira edição, aquele responsável vincou a quantidade, a diversidade e a qualidade dos participantes.
No cômputo quantitativo, registaram-se mais de trezentos participantes, que apresentaram mais de duzentas e cinquenta comunicações, vindos de quarenta países diferentes.

Pediram autógrafos aos autores do Estádio de Braga

“Viam-se pessoas de turbante, chineses, africanos, nórdicos. Foi muito enriquecedor”, salientou, considerando como um dos momentos altos do evento um jantar que decorreu no Estádio Municipal de Braga, onde os trezentos congressistas apreciaram a obra, concebida para o Euro 2004, e tiveram oportunidade de conviver com os seus autores, Souto Moura e Rui Furtado, autores dos projectos de arquitectura e de engenharia e galardoados com o Prémio Secil. “Vários dos congressistas mostraram-se muito entusiasmados por poderem conversar com eles”, destacou, revelando que alguns até pediram autógrafos.

Mesmo tema, novos convidados

Outro momento que Paulo Cruz considera ter sido de elevada importância foi o seminário especial sobre mega-estruturas, realçando também a qualidade de alguns do participantes, desigadamente Yona Friedman (Spacial City), Dennis Crompton (Archigram), Fumihiko Maki (Metabolismo Japonês), Adolfo Natalin (Superstudio).

Questionado sobre o financiamento do congresso e a sua sustentação, o nosso interlocutor admite que em anos anteriores teria sido mais simples angariar patrocinadores para um evento desta estirpe, estimando o custo em “seguramente mais do que 100 mil euros” e explicando que muitos dos inscritos tiveram descontos dada a sua condição de estudantes em conclusão de doutoramento. “É sustentável, mas ninguém cobre o risco”, considera. De qualquer modo, Paulo Cruz considera que a organização do congresso é vantajosa porque “coloca a Universidade no Mapa”.
A segunda edição incidirá sobre o mesmo tema, mas com outros convidados.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho